Bajas vão usar wireless em Piracicaba

Os estudantes de Engenharia Mecânica e Engenharia Elétrica, do Centro Universitário da FEI (Fundação Educacional Inaciana), começaram a testar os dois bajas para a 16ª Competição Baja SAE BRASIL–PETROBRAS, que acontecerá de 25 a 28 de fevereiro, no Esporte Clube Piracicabano de Automobilismo (ECPA), em Piracicaba, SP. Para a edição, os veículos off road Dipton e Zaya, projetados e construídos por 21 estudantes, terão tecnologia wireless para acompanhamento de dados, carenagem feita em fibra de Curauá, novo sistema de transmissão e outras inovações.
Com recurso wireless, o piloto terá em tempo real, numa tela de LCD acoplada ao volante, informações como carga de bateria, tempo do motor ligado, velocidade e rotação. Outra novidade é a redução no sistema de transmissão. Os veículos, que possuíam apenas uma marcha, agora vão disputar a competição com duas. “A modificação permitiu ganhar mais torque e potência para garantir melhor desempenho nas provas de tração”, destaca Cássio de Assis, estudante de Engenharia Mecânica Automobilística e capitão da equipe FEI Baja 1. Os sistemas de freios dos carros, pela primeira vez, foram projetados pelos alunos, nos laboratórios da FEI.
Na busca de materiais ecológicos, os alunos adotaram o uso da fibra de Curauá, planta da Amazônia, na laminação do banco, e também modificaram o assoalho estrutural com o uso de honeycomb, fibra de carbono e bucha de kevlar. “As alterações são para deixar os carros mais leves, e resistentes”, explica Walace Chicuta, aluno de Engenharia Mecânica e capitão da equipe FEI Baja 2.
Outras inovações

Além de tecnologia GPS, os veículos possuem sistema de telemetria, que gerencia e transfere ao box, em tempo real, informações como velocidade, rotação do motor, níveis da bateria e do tanque de combustível. Os carros também estão equipados com placas para o aproveitamento de energia solar para carregar as baterias, dispensando a utilização da energia do motor. As placas levam cerca de cinco horas para ser recarregadas, com recarga após 12 horas de uso. Os faróis de lâmpadas LED também são alimentados por energia solar.
Em Piracicaba, os bajas são submetidos a testes de tração, aceleração, velocidade máxima e um enduro de quatro horas, em pista de terra cheia de obstáculos, na qual carros e pilotos são desafiados no aspecto resistência. Antes disso, as equipes apresentam o projeto para uma banca de juízes, especialistas da indústria. Estão inscritas na competição 66 equipes, num total aproximado de 1,2 mil alunos, de 57 instituições de ensino de várias partes do País.
As três instituições que alcançarem as melhores pontuações, na soma geral das provas, ganham o direito de representar o Brasil na Baja SAE Carolina, que será realizada pela SAE International, de 8 a 11 de abril, em Carolina do Sul, nos EUA. A FEI é tricampeã mundial (2004, 2007 e 2008) e pentacampeã nacional (2001, 2002, 2005, 2007 e 2009) na modalidade.


Deprecated: Directive 'track_errors' is deprecated in Unknown on line 0