Copa Pegeuot de rally levanta poeira em SC

Realizada na cidade catarinense pelo quarto ano consecutivo, disputa exigiu atenção redobrada dos competidores, que encararam trechos travados e metade  da prova durante a noite, diferentemente  da  prova rápida que tiveram em Ouro Branco (MG), as duplas que disputam o Rally de Velocidade da Copa Peugeot encontraram em Blumenau, Santa  Catarina,  um  circuito  bastante  travado  e  técnico. As especiais aumentaram  ainda mais a exigência entre os participantes, já que metade da corrida  se  passou  na  noite  de  sábado  (31/07),  na  quinta  etapa  da competição. 

“Sem  dúvida, foi uma prova diferente, gostosa de andar”, comentou o piloto Rafael Túlio, que venceu simplesmente as oito especiais do dia na categoria 207 Super. Ele correu ao lado de Gilvan Jablonski, o navegador com quem foi bicampeão da Copa Peugeot de Rally e do Campeonato Brasileiro de Rally.

 “Eu  vinha  me  dedicando  à  categoria  N4  do Brasileiro. Por conta de um a  pessoal  do César Valandro, fui convidado a assumir o posto nessa prova.  Foi  muito  bom  voltar, ainda mais com um resultado desses”, disse Jablonski.  “Fizemos  tempos  nas especiais noturnas próximas às da tarde”, comemorou o competidor.

 Em  segundo  ficou a dupla formada por Fábio Dall’Agnoll e Gabriel Morales.

Numa ótima prova de recuperação, Marcos Tokarski e Laércio Reginatto haviam assegurado  a terceira posição, mas uma vela de ignição fora do regulamento decretou a desclassificação deles.

 Na  207  Máster,  os  competidores demonstraram um grande amadurecimento de suas  performances.  Para se ter uma ideia, Junior Siqueira e Felipe Costa, que  ficaram na ponta da categoria, somaram o segundo melhor tempo entre as 24  duplas  participantes.  “Acho  que  nossa  equipe  merecia  a  vitória.

Trabalhamos  muito para isso”, comentou o piloto. “Andamos forte e gostamos de prova assim, travada, técnica. Agora vamos nos preparar para Petrópolis, que tem as mesmas características”.

 Em segundo lugar ficou o português Pedro Zamith e Gílson Rocha, que tiveram um  desempenho  superior  durante  a  noite, deixando para o terceiro lugar Roberto Theodoro e Nani Washburger.

 Já  a  categoria 206, tida como a porta de entrada da competição organizada pela  Peugeot  Sport, mostrou o grande potencial das duplas. Os paranaenses Marlon  Goulin  e  Adriano  Paulin,  que  ficaram  na  primeira  colocação, conquistaram   o  terceiro  melhor  tempo  da  etapa,  deixando  para  tráS competidores  consagrados  do  rali  nacional. Detalhe: a dupla nunca havia entrado em um carro de competição do gênero até este ano.

O  segundo  colocado Clécio Maestrelli também não havia sentado à frente do volante.  O  experiente  navegador agora colhe bons resultados conduzindo o Peugeot  ao  lado  do irmão Sandro. “Foi um rali muito duro durante o dia e mais ainda a noite. A emoção foi grande”, contou.

No   total,  os  competidores  percorreram  106,4  quilômetros  de  trechos
cronometrados.  A próxima etapa do Rally de Velocidade vai ocorrer nos dias 11 e 12 de setembro, em Petrópolis (RJ).

Resultado

207 Super

1 – Rafael Túlio (PR) e Gilvan Jablonski (PR) – 1:22:48.10

2 – Fábio Dall’Agnol (RS) e Gabriel Morales (DF) – 1:27:34.90

3 – Eduardo Barros (MG) e Luiz Fernando Motta (PR) – 1:34:34.30

4 – Fabiano Botelho (SP) e José Sérgio Botelho (SP) – 1:36:11.40

207 Master

1 – Júnior Siqueira (SP) e Felipe Costa (SP) – 1:26:54.10

2 – Pedro Zamith (Portugal) e Gilson Rocha (RS) – 1:27:19.70

3 – Roberto Theodoro (RS) e Nani Washburger (RS) – 1:27:20.00

4 – Emerson Destro (SP) e Sérgio Avallone (SP) – 1:28:28.40

5 – Fabiano Altomar (MG) e Zeca Fonseca (MG) – 1:28:49.80

206

1 – Marlon Goulin (PR) e Adriano Paulin (PR) – 1:12:36.20

2 – Clécio Maestrelli e Sandro Maestrelli (PR) – 1:13:08.80

3 – Tony Kranzegger (SP) e Thiago Osternack (PR) – 1:28:21.00

4 – Toninho Genoin (SC) e Diego Marcola (SC) – 1:30:32.90

5 – Jean Marcus Pimentel (PR) e Fernando Donnabella (PR) – 1:33:19.20


Deprecated: Directive 'track_errors' is deprecated in Unknown on line 0