Na Áustria, brasileiros não vão bem na F-Renault 3,5

196733_330884_4565_web_

Iniciada na véspera, a festa dinamarquesa no fim de semana da Fórmula Renault 3.5 foi completada neste domingo no circuito de Red Bull Ring com a dobradinha dos pilotos Marco Sorensen (Lotus) e Kevin Magnussen (Fortec). Foi a segunda vitória seguida de Sorensen, que largou na pole, liderou de ponta a ponta e ainda estabeleceu a volta mais rápida. Com o segundo lugar, Magnussen ampliou a folga no campeonato, beneficiado pela desastrosa passagem de Stoffel Vandoorne pela Áustria. O belga chegou comandando a classificação com três pontos a mais que Magnussen e caiu para segundo, com 30 de desvantagem. Segundo na abertura da rodada dupla, o holandês Nigel Melker (Tech 1) voltou a subir ao pódio com o 3º lugar.
Depois de André Negrão (Draco) na corrida do sábado, o Brasil voltou a colocar um representante na zona de pontos com o mesmo 9º lugar de Pietro Fantin (Arden Caterham) no complemento da programação. Derrubado por um problema na troca obrigatória de dois pneus, Negrão perdeu quatro segundos na substituição do traseiro esquerdo que lhe roubaram a chance de manter pelo menos o 7º lugar que ocupava no momento da parada. Terminou em 11º, imediatamente seguido por Yann Cunha (Av Formula), enquanto Lucas Foresti (Comtec) abandonou faltando três voltas.
André lamentou o episódio nos boxes e a chance de se manter isolado na 10ª posição do campeonato, agora compartilhada com o inglês William Buller. “Fiz novamente uma ótima largada e pedi para entrar logo no início da janela do pit stop porque estava sem poder avançar com o grupo de carros que ia à minha frente. Infelizmente, quase todos optaram pela mesma estratégia e o tempo perdido na troca custou caro”, explicou.
Guto Negrão, proprietário e diretor-geral da Draco, admitiu que a equipe voltou a encontrar dificuldades no acerto do carro no traçado localizado na região de Graz. “Não achamos o balanço correto, talvez tenhamos errado na pressão dos pneus em função das altas temperaturas da pista. Fomos oito décimos mais lentos no qualifying e essa diferença se manteve na prova. O que salvou foi a excelente largada dos nossos pilotos”, analisou. André partiu em 14º, logo à frente do companheiro Nico Müller, o 8º na bandeirada quadriculada.
Sorensen foi o grande destaque da etapa. Foram duas poles e duas vitórias, as primeiras na temporada, que o elevaram da 9ª para a 6ª colocação na classificação geral. Com uma atuação segura, ele manteve a tranquilidade até mesmo no momento de maior pressão. Quando restavam apenas 15 minuto, o safety car foi chamado para permitir a retirada do carro do colombiano Carlos Huertas (Carlin) da curva que antecede à reta dos boxes e Magnussen se aproximou perigosamente. A primeira volta após a relargada foi um duelo entre os líderes. “Quando vi que ele encostou, pensei: vai ser duro. Mas sabia que ele não faria nada estúpido porque está disputando o título”, lembrou, sem esconder a felicidade com o sucesso absoluto. “Foi um dos melhores finais de semana da minha carreira.”

O resultado da prova:

1 – Marco SØRENSEN – LOTUS – 33 voltas em 45min42s658
2 – Kevin MAGNUSSEN – DAMS – a 4s517
3 – Nigel MELKER – TECH 1 RACING – a 5s422
4 – Sergey SIROTKIN – ISR – a 7s117
5 – William BULLER – ZETA CORSE – a 11s004
6 – Will STEVENS – P1 By STRAKKA RACING – a 12s937
7 – Marlon STOCKINGER – LOTUS – a 14s054
8 – Nico MÜLLER – INTERNATIONAL DRACO RACING – a 14s416
9 – Pietro FANTIN – ARDEN CATERHAM – 16s899
10 – Norman NATO – DAMS – 18s254
11 – André NEGRÃO – INTERNATIONAL DRACO RACING – a 18s956
12 – Yann CUNHA – AV FORMULA – a 23s509

13 – Jazeman JAAFAR – CARLIN – a 24s729
14 – Christopher ZANELLA – ISR – a 25s283
15 – Matias LAINE – P1 By STRAKKA RACING – a 28s566
16 – Oliver WEBB – FORTEC MOTORSPORTS – a 28s813
17 – Daniil MOVE – SMP RACING by COMTEC – a 29s903
18 – Mikhail ALESHIN – TECH 1 RACING – 35s064
19 – Zoel AMBERG – PONS RACING – a 2 voltas
20 – Arthur PIC – AVF – a 2 voltas


Deprecated: Directive 'track_errors' is deprecated in Unknown on line 0