Negrão “limpa a pista” para a Fórmula 1


A programação oficial do 71º Grande Prêmio de Mônaco será aberta nesta quinta-feira com a entrada na pista dos carros da Fórmula Renault 3.5, principal divisão da World Series by Renault. A “honra” de ser a primeira categoria a acionar os motores nas ruas do principado, porém, é questionada de forma bem-humorada pelo paulista André Negrão. “Vamos fazer o papel de lixeiros para a Fórmula 1, que treinará logo depois”, brinca. “O asfalto estará muito sujo e sem aderência. Os ensaios de pouco servirão para os acertos com vistas aos treinos classificatórios do sábado”, acrescenta.

O GP de Mônaco será o único do calendário disputado pelo sistema de rodada simples – todos os demais são compostos de duas corridas. Amanhã, o circuito estará reservado apenas às atividades da Porsche Cup e da Fórmula GP2, que divide com a Fórmula Renault 3.5 o status de celeiro de talentos para a Fórmula 1. “Quando voltarmos a andar no sábado, direto nas tomadas classificatórias, terão sido realizados sete treinos e corridas. A pista estará com muito mais grip”, lembra Negrão, que vem de um 8º lugar e da conquista dos primeiros quatro pontos em Motorland Aragón (Espanha).

De acordo com a programação estabelecida pela Draco, equipe comandada por Guto Negrão, André e o companheiro Nico Müller darão 10 voltas e retornarão aos boxes para os ajustes iniciais. Em seguida, sairão com um jogo de pneus novos para novo “stint” com a mesma duração. “Tudo isso na teoria, porque Mônaco é complicado. Alguém que bata pode provocar a interrupção do treino e a redução do tempo de pista”, ressalva Negrão, um dos quatro brasileiros presentes à 5ª etapa, ao lado dos brasilienses Lucas Foresti e Yann Cunha e do paranaense Pietro Fantin.

A corrida deste domingo não exigirá a troca de dois pneus, como determina o regulamento na prova de fechamento do programa regular. Por isso, mais do que nunca e ainda mais num traçado de ultrapassagens improváveis, as posições de largada devem ser determinantes para o resultado final. “Conseguir um bom lugar no grid será fundamental para terminar bem dentro dos pontos”, reconhece Negrão. Nesta segunda e terça-feiras, ele se preparou para a prova no simulador em Modena (Itália), depois de cumprir o mesmo trabalho na semana passada na Williams, na Inglaterra.

Após quatro corridas, a liderança está sendo disputada pelo dinamarquês Kevin Magnussen, com 63 pontos, e o belga Stoffel Vandoorne, com 59. Bem atrás, o francês Arthur Pic aparece na terceira posição com 35. O português Antonio Felix da Costa vem a seguir, com 31, até agora sem confirmar a condição de forte candidato ao título que lhe foi atribuída depois da campanha na segunda metade do calendário de 2012 e dos testes de inverno na Europa.


Deprecated: Directive 'track_errors' is deprecated in Unknown on line 0