Thiago Oliveira estreia na equipe Scuderia PCR

Kart

A abertura da Copa São Paulo de Kart KGV no Kartódromo Granja Viana, em Cotia (SP), no último final de semana (15/2), além de reunir cerca de 200 pilotos, marcou a estreia pela categoria Rotax Junior Max do pequeno kartista Thiago Lopez Oliveira (Kapci Coatings/Mega Cores/Reex/Guaraná Dolly) como representante oficial da fábrica Scuderia PCR Brasil.
“Foi uma semana de muito trabalho, que serviu para conhecer melhor os novos componentes da equipe, o excelente chassi e começar a trabalhar no seu desenvolvimento. Foi uma preparação rápida para as próximas nove etapas, quando estaremos em condições de brigar pelas vitórias e pelo título da Junior Max”, comentou Thiaguinho, de apenas 12 anos de idade.
Os bons resultados do trabalho de exploração das possibilidades do chassi PCR foram alcançados nos últimos treinos livres oficiais, na sexta-feira, quando Thiago foi o mais rápido pela manhã com pneus novos, e a tarde ficou com a quarta marca, mas como o mais rápido com pneus usados.
“O chassi é bem sensível e reage a cada mudança que fazemos. Ele mesmo vai indicando o caminho que devemos seguir. Também fizemos várias experiências de calibragem com o pneu Mojo”, contou o pilotinho da PCR/Kapci Coatings/Mega Cores/Reex/Guaraná Dolly. “Estávamos otimistas para largar na primeira fila pra brigar diretamente pelas vitórias. O que não contávamos era ter problemas de última hora na parte elétrica e que demorarmos a solucionar”, lamentou.
Logo no sábado pela manhã Marcel Coletta conquistou a pole position, enquanto Thiago Oliveira amargava uma 12ª posição no grid, com um kart 0s687 mais lento. “O motor não rendia nada e nós achamos que a regulagem da carburação não estava correta”, disse. Mas, na corrida, o problema se agravou, mas também se apresentou. Era a parte elétrica, mais precisamente o botão de partida que roubava energia da bateria, que acabou relegando o piloto para o 21º posto, 24ss585 do vencedor Murilo Coletta, mesma posição em que o piloto largaria na segunda bateria.
“Largar lá atrás é muito ruim em uma categoria tão equilibrada e disputada. Eu ganhei várias posições nas duas primeiras voltas e estava em 14º quando rodei em uma briga por posição com vários toques. Logo em seguida a garra que segura o motor quebrou por causa da batida que levei e tive que abandonar”, relatou decepcionado. O vencedor da bateria foi Lucas Parizotto.
A próxima etapa da Rotax Junior Max será no dia 22 de março, novamente no kartódromo Granja Viana. “Vamos estar preparados para dar a primeira vitória para a PCR neste campeonato”, promete o piloto do kart de numeral 100, duas vezes vice-campeão na Mini Max Rotax e terceiro colocado no Campeonato Brasileiro do Rotax Max Challenge.


Deprecated: Directive 'track_errors' is deprecated in Unknown on line 0