Coluna “Andando de carro” – Antônio Fraga

Antônio Fraga | Especial para www.acidadeon/campinas.com.br 5/7/2019

40 anos do carro a álcool

Neste dia 5 de julho faz 40 anos desde o lançamento do primeiro carro a álcool produzido em série. No final da década de 70, o então presidente Ernesto Geisel lançou o Proálcool, programa de incentivo ao carro movido a álcool e convidou o engenheiro Ernesto Stumpf para desenvolver o projeto. A crise do petróleo afetava todo o mundo e diversas medidas foram tomadas, como proibir as competições motorizadas e fechar os postos nos finais de semana e à noite. Após um processo rápido de desenvolvimento e muitos testes, a Fiat Automóveis foi a pioneira e apresentou o 147 com motor 100% movido a álcool. Os motores, coletores e carburadores eram alterados por conta da necessidade de uma maior taxa de compressão e o poder corrosivo do novo combustível. O retrabalho no cabeçote aumentavam a taxa de compressão, no caso do 147, era elevada de 7,5:1, utilizada com gasolina, para 11,2:1. Além da necessidade do tanquinho com gasolina para a partida em dias mais frios. Em relação aos motores à gasolina, houve um ganho de potência, torque e desempenho. Mas o consumo era bem maior. Na verdade, antes mesmo do lançamento do programa, já existiam muitos estudos com relação à utilização do álcool como combustível. O Fiat 147 foi o primeiro a ter produção em grande escala, mas um Dodge Polara 1800, exposto no Memorial Aeroespacial Brasileiro, em São José dos Campos, já tinha sido produzido bem antes. Mais barato, logo o combustível nacional virou uma febre e chegou a representar nos anos 1980 quase 100% da frota de carros.

 

Mudanças na Toro

E por falar em Fiat, a marca lança na semana que vem a sua picape Toro geração 202. O modelo de grande sucesso e derivado do Jeep Renegade vai ganhar um novo para-choques com quebra-mato integrado, santo antonio na caçamba, protetor do vidro traseiro e uma nova e mais moderna central multimídia com tela de sete polegadas. Ao todo serão quatro versões: Endurance, Freedom, Volcano e Ranch. Novo Audi Q7
E a Audi apresentou na Europa a nova geração do seu familiar Q7. O modelo, que chega àquele mercado em setembro, ficou mais imponente e elegante. Destacam-se os cromados da grade dianteira, que passam a ser verticais, as maiores entradas de ar no para-choques e as novas lanternas. Por dentro, também houve uma mudança radical, inclusive abandonando aquela tela “pulada” para fora do painel e adotando duas telas embutidas no próprio painel. Mais elegante e eficiente. As motorizações, a diesel e gasolina, também ganharam modificações, assim como um enorme avanço na suspensão.

Uma história espetacular

A filha de um dos designers que participaram da criação do Fusca (Beetle) entrou na Justiça pedindo uma indenização. Embora todos saibam que o modelo foi uma criação do genial Ferdinand Porsche, em 1939, o projeto chamado de VW KrF teve uma equipe grande. Entre os designers, Erwin Komenda, era um dos membros. A senhora queria uma indenização de cinco milhões de euros pelo lançamento do novo e retrô Fusca, tendo em vista que deriva do projeto anterior e das suas linhas de grande sucesso.
A Volkswagen ganhou o processo em tribunal e na sentença o juiz determinou que não cabe qualquer compensação.

Homenagem à Kombi

A eterna “velha senhora” receberá uma homenagem na próxima edição do Auto Show Collection, ponto de encontro de colecionadores e fãs de carros antigos no Sambódromo do Anhembi. O evento, que normalmente ocorre à noite, desta vez será diurno: a partir das 12h, no feriado de 9 de julho. São esperadas cerca de 500 Kombis na exposição.

Aceita encomendas

E se lembram da nota da coluna da semana passada sobre o lançamento no Brasil do novo superesportivo McLaren 600 LT Spider, com preço de venda de R$3.250.000,00? O primeiro, que serviu para alegrar o evento de lançamento, já estava vendido. E já existe uma longa fila de espera.


Deprecated: Directive 'track_errors' is deprecated in Unknown on line 0