Produção do BMW i3 tem fábrica inovadora

Fabrica i3

chico lellis

O colega periodista peruano perguntou: que tal a fábrica do i3, o modelo elétrico da BMW? Do alto das minhas muitas dezenas de visitas a fábricas de automóveis pelo mundo, lasquei: é tudo a mesma coisa. Conheceu uma, conhece todas. Ao final da visita tive que me penitenciar e dizer a ele que aquilo ali era totalmente diferente de tudo o que já vira. E é mesmo. O núcleo do i3, da fábrica da BMW em Leipzig, na ex-Alemanha Oriental, é algo realmente novo. O silêncio surpreende. Não há prensas. Os robôs de solda, ou melhor, os robôs não soldam, colam e, portanto, não enchem o ambiente de faíscas ameaçadoras como ocorre em qualquer das fábricas de automóveis que já visitei até hoje em 45 anos de carreira jornalística. Além disso, onde está a cabine de pintura? Não tem.
E a fábrica ainda usa energia eólica e não produz danos ao meio ambiente.

Um carro só. Elétrico

No complexo industrial de Leipzig, a BMW produz o X1 5 portas, o Série 2 cupê, em uma parte convencional da fábrica, com um total de 3.600 funcionários. Mas na fábrica, totalmente independente, do i3 trabalham 800 pessoas, que produzem 70 modelos/dia do carro elétrico da BMW, que está sendo testado em São Paulo e chegará ao mercado brasileiro no segundo semestre.
A fábrica do i30 é realmente diferente de tudo. Seu tamanho é apenas 40% de uma normal. Por enquanto são 70 unidades/dia porque a BMW quer estabelecer um crescimento controlado. Para mostrar a diferença da fabricação, no modelo elétrico a unidade consome 50% menos de energia (100% eólica, gerada por 4 moinhos de ventos com capacidade para 10 megawates cada um) e 70% menos de água. Além disso, o i3 leva metade do tempo para ser produzido na comparação com o BMW x1, que é fabricado em 40 horas. O espaço ocupado na produção é 40% daquele de uma montagem convencional.
BMW i3 - 4

BMWi3-2
Algo que realmente impressiona na fábrica é o silêncio. Mal se ouve a movimentação dos robôs, que colam a carroceria, ao invés de soldá-las. As peças do carro, em fibra de carbono (que vai dos EUA para Leipzig) são moldadas e entregues pintadas na BMW.
Com carroceria em fibra de carbono, o i3 pesa 1.195, é capaz de fazer de 0 a 100 km/h em menos de 6 segundos e atingir máxima de 120 km/h. A autonomia fica entre 130 e 160 km, considerado bom para uso urbano. Segundo estudos da BMW na Europa, o comprador de um i3 passa a aceitar esta autonomia em 2 ou 3 semanas de uso, quando absorve as qualidades que o carro oferece, como ausência de ruído, maciez no rodar e a certeza de que está contribuindo para a preservação do meio ambiente, usando um veículo com zero emissão, que custa, na Europa, 32 mil euros e nos EUA, US$ 45 mil. O preço no Brasil ainda não foi definido mas, em razão da total ausência de interesse do governo brasileiro em apoiar iniciativas como essa (vide caso de outros modelos elétricos, como o Nissan Leaf), passará fácil dos R$ 100 mil.

BMWi3-3

Mas a autonomia pode ser aumentada, caso o consumidor se disponha a pagar uma extensão, 4.500 euros, que permitirá ao carro rodar até 300 km. Mas nesta opção, o carro deixa de ser emissão, porque a maior carga para a bateria é fornecida por um motor 2 cilindros de moto da BMW, movido a gasolina, que gera poucas emissões mas não é 100%. Para a montadora, esta será uma opção com pequena participação nas vendas, pelo menos na Europa, onde o movimento pró Emissão Zero é muito forte. A bateria tem garantia de 8 anos e pode ser recarregada em 6 horas.

Resultados financeiros

A filosofia reinante na BMW é, segundo seu presidente mundial, Norbert Reithofer, a meta principal de uma empresa: garantir o seu futuro. E, para isso, tem que cuidar das suas finanças. Com isso, segundo ele, é possível investir na mobilidade individual, no bem-estar dos clientes e no meio ambiente. No ano passado, depois de pagos os impostos, a montadora alemã, líder mundial no segmento Premium, teve lucro líquido de 5,3 bilhões de euros. Para produzir o i30, foram investidos 400 milhões de euros. Semelhantes investimentos foram usados para fabricar o esportivo i8, um hibrido capaz de alcançar 250 km/h e fazer de 0 a 100 km/h em menos de 5 segundos.
Fábrica brasileira – No Brasil a BMW está construindo sua fábrica em Araquari, SC, com capacidade de produzir, inicialmente, 35 mil unidades/ano, a partir do quarto trimestre deste ano. Lá serão fabricados cinco modelos, o modelo de luxo sedan Série 3, os SUVs x1 e x3, o Mini Cooper Coutryman e o modelos mais baratos da marca, o Série 1.


Deprecated: Directive 'track_errors' is deprecated in Unknown on line 0