A esportividade do Focus RS não está só na aparência

Quando você olhar e vir a sigla RS aparecendo num Ford Focus, principalmente numa estrada, não sai da frente, apenas suma. E se tiver numa estrada sinuosa, então nem apareça. Um dos melhores carros do mundo, ganha agora a sigla que marcou os carros verdadeiramente esportivos da Ford. O primeiro, em 1970, foi o Escort 1600 RS, depois o Sierra (não veio para o Brasil), o Fiesta e em 2002, o Focus. A segunda geração do carro médio que revolucionou a engenharia em todo o mundo, o Ford Focus, já era um carro espetacular. O RS, é simplesmente maravilhoso. Um sonho de consumo, disparado o melhor de sua categoria.
Com um design agressivo e monumental, o Ford Focus deixa claro o seu espírito logo de cara. Os pára-choques pulados para fora e muito “fortes”, juntamente com as enormes entradas de ar dianteiras e laterais, as, as rodas de liga de 19 polegadas, o escapamento duplo e as caixas de rodas mais salientes, dão ao carro um ar endiabrado. E vamos ser sinceros, não é ao na aparecia. Com a opção de três cores, branco “Frozen”, azul “Performance” e verde “Ultimate”, esta que foi utilizada no Escort RS1600 dos anos 70.


No interior, o espírito de competição continua, mas é mais discreto que o exterior. Afinal, o Ford Focus RS é o que popularmente se fala de um carro “cheguei”. Ou seja, não é para passar desapercebido. Os bancos Recaro com as bordas em couro com costuras em azul, são muito envolventes. O painel de instrumentos com a iluminação azul é completo. Os acabamentos do console central e outros detalhes é imitando fibra de carbono. Pedais de alumínio e o volante de três raios, continuam e ressaltam o espírito desportivo. A posição de dirigir é inigualável. Perfeita.
Poucos carros se aproximam dele em termos de eficiência e comportamento dinâmico. E olha que o anterior já era um carro fantástico. O Ford Focus RS é feito para acelerar e humilhar qualquer outro carro que se meta a besta. E você acha que é só carros da sua categoria? Pois muitos dos esportivos que estão por aí, de renome e tradição, vão passar vergonha se quiserem acelerar e disputar algumas curvas com ele. Com um motor de tração dianteira, Duratec 2,5 litros, turbo alimentado, desenvolve “apenas” 305 cv. Este é o já conhecido motor Duratec de 2,5 litros que equipa muitos carros e utilitários esportivos da marca norte-americana, mas “mexido” na “central eletrônica, árvore de cames, juntas e cabeças dos cilindros e sistemas de admissão e escape. O desempenho é assustador de tão maravilhoso. E o ronco? Musica da melhor qualidade. O câmbio é manual de seis velocidades, macio e preciso. Calçado com pneus Continental ContiSportContact 3, de medida 235/35ZR19, e o excelente acerto na suspensão deixam o carro grudado no chão. A estabilidade é surpreendente. Os freios, afinal alguma coisa tem que deter este carro, são a discos ventilados de 336 mm na frente e maciços de 302 mm de diâmetro na traseira. Eita! Obviamente, afinal ninguém é maluco, possui uma infinidade de letrinhas para ajudar o motorista (peraí, motorista é ofensa, tem que ser piloto, ou pelo menos ter noção, senão é desperdicio), o piloto do Ford Focus RS a pilota-lo. Mas vale um toque para quem é um felizardo e pode importar um desse e ter a felicidade de apertar o botão Power, no centro do console e ligar o motor do bólido que deverá ser o carro de produção em série, da Ford Europa, mais rápido de todos os tempos: somente oito mil vão ser produzidos e custará na Europa 46 mil euros, algo em torno de 130 mil reais. Mas vale cada tostão.


Deprecated: Directive 'track_errors' is deprecated in Unknown on line 0