Agora é pra valer: crianças é na cadeirinha

Caçada aos assassinos. A partir de junho deste ano, todo o motorista que transportar uma criança até 10 anos sem estar com a “cadeirinha” e não atender às exigências da Resolução 277 do Conselho Nacional de Transito -Contran, será multado em R$ 191,54 e receberá sete pontos na carteira. Já não era sem tempo, pois somente no Brasil, morrem 1,2 mil crianças por ano por serem transportadas sem a segurança devida. Segundo uma pesquisa do Ministério da Saúde, se houvesse um cuidado no transporte das crianças, como o uso de cadeirinhas e cintos próprios, 70% das crianças se salvariam em acidentes automotivos. Mais: 69% desses mesmos acidentes, ainda com as crianças devidamente protegidas, sequer havia a necessidade de hospitalização. A Resolução, publicada em 09 de junho de 2008, prevê que crianças de 1 a 4 anos devem usar cadeirinhas e serem transportadas somente no banco traseiro. Já de 4 até sete e meio anos, assento de elevação e as com menos de um ano, num bebê-conforto apropriado. As cadeirinhas, assentos elevados ou bebê-conforto devem atender e ter a certificação do InMetro e têm validade máxima de cinco anos. Aproximadamente dez fabricantes nacionais estão em conformidade com o InMetro e o Contran. Ainda há uma definição quanto às cadeirinhas e assentos importados, inclusive pela forma de serem presos.


Estudos mostram que em caso de acidente, ao ser arremessado, o peso de uma criança aumenta 50 vezes, ou seja, uma criança de 5 quilos passa a pesar  250 quilos. Com esse peso, se a criança estiver no banco traseiro, mas sem cinto, pode causar o chamado efeito elefante, que empurra o encosto do banco dianteiro para a frente, quebrando-o e esborrachando a criança contra o painel ou o vidro. No caso de um adulto sentado no banco dianteiro com o cinto de segurança, o peso do impacto pode o esmagar e causando sua morte. Muito comum, é uma mãe transportar a criança no colo, e também com esse peso, não haveria força para segurá-la. Os cintos de segurança são determinados para qualquer pessoa com mais de 35 quilos. Menos causa sérios danos, inclusive esmagamento. O correto é o cinto na região pélvica, abaixo da linha de cintura.  O correto é a utilização de cadeirinhas com três pontos, pois distribuem a força do impacto.


Deprecated: Directive 'track_errors' is deprecated in Unknown on line 0