Apaixonados vão comemorar os 100 anos da Alfa Romeo

No próximo dia 24, a cidade de Milão, na Itália vai parar para homenagear e comemorar os 100 anos da Alfa Romeo. Uma das brilhantes e emocionantes marcas de automóveis de todo o mundo, terá uma festa digna, com direito a exposições, e eventos no Autódromo de Monza e no seu museu. Para organizar tudo, diversas pessoas da Alfa Romeo Register (RIAR), Grupo MAC, Fiat Group Automobiles (proprietário da marca) e a Câmara Municipal (que lá é a Prefeitura local) se uniram.


“Alfistas” de de 45 países e mais de três mil carros são esperados para a festança. Nascida em 24 de junho de 1910, a Alfa Romeo é uma das mais emocionantes marcas da indústria automotiva mundial. Junto com a Ferrari, é uma fabricante especial, que produzem apenas veículos para locomoção e sim automóveis que são verdadeiras obras de arte automotivas, que se destinam a apaixonados. Tanto pelo seu design arrojado, inovador e muito esportivo, pelos motores de ultima geração, acabamentos impecáveis, tecnologia de ponta, os modelos da Alfa Romeo são motivo de admiração e adoração em todos os cantos do mundo. A quase centenária marca italiana, se orgulha de ser bem sucedida em vendas de carros de passeio e nas pistas de competição.

No próximo final de semana na Palazzo Marino, sede histórica da cidade de Milão, com uma coletiva de imprensa será dada a largada para as homenagens. Nos dias 24 e 25 de junho, o Museu da Alfa Romeo, em Arese, ficará aberto das nove da manhã à meia-noite e visitas guiadas em várias línguas, serão organizadas. Já nos dias 24 a 27 de junho, modelos clássicos serão exibidos ao lado do novíssimo Alfa Romeo Giulietta, carro que marca o centenário, em algumas das praças mais bonitas e importantes do Milão. Os Correios italianos vão lançar um selo comemorativo. Mas o principal será mesmo nos dias 26 e 27 de junho, quando ocorrerão os desfiles e exposições pelas ruas da cidade. Uma estátua doada por RIAR (associação que reúne mais de 1500 proprietários de Alfas) será “inaugurada” em frente ao portão sul da Expo Fiera Milano. Inspirada no famoso Alfa Romeo 1900 Disco Volante (Flying Saucer), o trabalho foi concebido pelo Centro Stile Alfa Romeo, com a colaboração do artista Agostino Bonalumi.
O primeiro dia do Rally Internacional terminará à noite perto de Sempione Park, com um jantar e queima de fogos em vários pontos da cidade.

Todos os entusiastas podem se maravilhar visitando o “Alfa 100×100 exposição” no Parco Esposizioni Novegro (Milão), nos dias 19 a 27 de junho. Centenas de carros, vitórias em competições e sucessos serão apresentados, modelo após modelo, para celebrar a história da Alfa Romeo.

Em 1910 um grupo de empresários e homens de negócios adquiriram a Società Italiana Automobili Darracq, filial italiana de uma fabricante automotiva francesa, e suas oficinas em Portello, na periferia da cidade. Daí surgiu a Alfa (Anonima Lombarda Fabbrica Automobili”. O maravilhoso emblema inseriu a forte paixão daqueles homens com a cidade de Milão, por isso foram incrustados Cruz Vermelha da bandeira da cidade, da família Visconti a “cobra” (“Biscione” em italiano). O primeiro carro foi um modelo esporte, o “24 HP”, um modelo que se destacou desde o início de sua mecânica, desempenho e prazer de condução – características que se tornariam a marca registrada da marca e de seus carros. Com o início da I Guerra Mundial e com o caixa vazio, a fábrica foi vendida em 02 de dezembro de 1915 para o engenheiro e empresário napolitano Nicola Romeo. Logo foi incorporado ao nome Alfa o Romeo. A fábrica de Portello, com um efetivo de 2500 trabalhadores, foi ampliada e transformada para a produção de veículos e artefatos para a guerra. Na fábrica passaram a produzir compressores, munições, motores de avião e, após 1917, trens. Mas com o fim da guerra, a fábrica voltou à sua finalidade e novamente foram produzidos carros. Em 1923, a Alfa Romeo conquistou a Targa Florio, com um “RL TF”. Surgia aqui outro símbolo dos carros esportivos da marca: o trevo de quatro folhas: o “Quadrifoglio”. Em1925, com o “GP P2”, que ganhou o primeiro Campeonato Mundial de Automobilismo da história, e a primeira das cinco vitórias da Alfa Romeo no que muitos anos depois seria o Campeonato Mundial de Fórmula Um. Após o modelo de “P2”, seguiram “6C 1500” (1928), “6C 1750” (1930), “8C 2300” (1931) e “Gran Premio Tipo B-P3” (1932) , todos os modelos que muito contribuíram para o aumento da “Quadrifoglio” prêmio recorde e elevou o prestígio técnico de carros feitos na fábrica de Portello. Jano foi o responsável pelo lendário “8C” oito cilindros em linha com supercharger.

A década de 30 foi a mais importante para a formação da lenda que a Alfa Romeo se tornou. A marca contava com os melhores pilotos da época, como Antonio Ascari, Gastone Brilli Peri, Giuseppe Campari, Enzo Ferrari, Tazio Nuvolari, Achille Varzi. As vitórias se sucediam, como: 11 Mille Miglia, quatro 24 horas de Le Mans Targa Florio e uma infinidade de de Grand Prix (a futura Fórmula Um. A crise econômica mundial iniciada no final dos anos 20. A Alfa abandona ao poucos as corridas e entrega seus carros vitoriosos para um tal de Enzo Ferrari. Com o inicio da segunda Guerra Mundial, a fábrica, como quase toda a indústria mundial, se vira para a produção de armas de guerra. As fabricas da marca italiana, por estarem produzindo armamento são bombardeadas e praticamente destruídas. Em outubro de 1944. Antes de voltar a produzir carros, proprietários e trabalhadores se uniram na reconstrução da fabrica e passaram a produzir fogões, persianas, armários e outros objetos para ajudar na reconstrução e desenvolvimento do Pais. Em 1946 voltam a produzir automóveis e entra em produção o mito 6C 2500s. Nos anos 60 surgem a geração Giulia e logo em seguida a Giulietta, que logo se tornariam carros de desejo.

Em 1986, pela terceira vez, a empresa mudou de proprietário, desta vez adquirida pela gigante do setor, a Fiat Group SA.  Em 1992, surge pela vontade de voltar a fazer sucesso nas pistas 0 155 e 145, que se tornariam um sucesso de vendas para a marca. Em 1995 os esportivos “GTV” e “Spider” e em 1997 o primeiro sedan coupé do mundo, o belo 156. O “166” substituiu o “164” em 1998, e em 2000, “147” (também de “Carro do Ano”), substituiu o “145”.) Em 2005 o “159” substituiu o “156”, evoluindo o seu estilo e gerando o “coupê Brera” e o novo “Spider”, em 2006.
Novamente em 2006, a Alfa Romeo apresenta o tão esperado “8C Competizione”, um cupê de altíssimo desempenho com um design marcante que a tornou um “clássico instantâneo. Com apenas 500 unidades feitas, este supercarro foi para colecionadores e um punhado de proprietários de sorte. Ele foi acompanhado pelo “8C Spider”, em 2008, que manteve as mesmas características mecânicas e performance como o cupê. O Alfa Romeo MiTo, um carro compacto, com um aspecto esportivo, para consumidores jovens e todos aqueles que querem um carro que se distinga do comum,
Agora é a vez da novíssima “Giulietta”, com o objetivo de reviver a marca em um dos segmentos mais importantes da Europa. No ano do centenário, o nome é uma homenagem a uma lenda do automóvel, que foi fundamental na história da Alfa Romeo: o Giulietta é um carro que, nos anos cinquenta, capturado a imaginação de gerações de entusiastas do carro, fazendo com que o sonho de possuir um Alfa Romeo e apreciar o elevado nível de conforto e excelência técnica acessível pela primeira vez. O novo Giulietta é o símbolo do centenário da Alfa Romeo, a marca mais carismática e idolatrada para quem gosta de um verdadeiro automóvel.


Deprecated: Directive 'track_errors' is deprecated in Unknown on line 0