Coluna “Vamos nos divertir?” – por Chico Lelis

Logo Chico Lelis

 

Chegou o Lancer com mais conforto

 

Se você sempre leu, ou ouviu falar que o Mitsubishi Lancer é um carro duro, pouco confortável, apesar da sua boa performance, saiba que a montadora colocou no mercado a versão HLE, por R$ 85.490 e com muito conforto, graças às modificações efetuadas em sua suspensão, Soft Wishbone, que elevou a altura livre do solo para 170 mm. Esta adaptação, somada às rodas de liga leve, aro 16″ e pneus 205/60 R16, tornaram o carro capaz de superar todos os buracos da paulicéia e de cidades como Campinas, por exemplo, sem causar desconforto aos seus ocupantes. E, nas estradas sente-se a sua segurança nas retas, com seu coeficiente aerodinâmico de 0,29 e sistemas que ajudam o motoristas nas curvas mais contundentes.

 

Foto  Legenda 01

 

 

A intenção da Mitsubishi com a versão HLE é disputar o importante segmento de sedans médios, onde nadam de braçada Honda Civic e Toyota Corolla. A grande dificuldade desta outra marca japonesa, era a rigidez das sua três versões, a 2.0 MT, que custa R$ 68.990; Lancer 2.0 HL, R$ 73.990 e, especialmente, o 2.0 GT, com sua estabilidade fora de série, graças à sua suspensão esportiva, e que custa R$ 89.490. Todos usam o mesmo motor MIVEC 2.0 a gasolina, 4 cilindros, 16v com comando variável e injeção multiponto sequencial, que gera potência de 160 cv e 20 kgfm de torque.
Mas voltando ao lançamento, é preciso destacar a transmissão automática do HLE, de 6 velocidades, com tecnologia INVECS-III, capaz de se adaptar ao modo de conduzir de cada motorista, fazendo as trocas suavemente, no Paddle Shifters (borboletas atrás do volante) ou na própria alavanca do câmbio. A suspensão dianteira é MacPherson, com reforço de braço tubular e, a traseira, para dar mais estabilidade, segurança e, principalmente conforto, é Multilink de última geração, com barras estabilizadoras.
Internamente, o HLE ganhou acabamento Premium Black, também chamado de Black Piano, bancos em couro – como o o GT –  e computador de bordo com tela LCD Black Glass Touch Screen de 7″, sistema multimídia, com todas as inovações disponíveis no mercado. incluindo acelerômetro, aceleração lateral, inclinação frontal e altitude.
Agora é aguardar a reação do mercado para esta novidade Mitsubishi, que espera chamar a atenção dos executivo e executivas, que buscam um modelo confortável e seguro no dia-a-dia da cidade, ou nas viagens mais longas das férias ou finais de semana.

 

Zito

 

Carro não, apartamento!

 

José Eli de Miranda, o Zito, meia do Santos FC e da Seleção Brasileira, bicampeão de 58 e 62, falecido no último domingo, era um craque também fora das quatro linhas. Tomava conta de todo o elenco do Peixe, incluindo-se ai Pelé, o Rei do Futebol. Foi, nos tempos atuais, responsável pela ida de Robinho e e Neymar Jr para a equipe da Vila Belmiro. E, nos seus tempos de jogador, não perdoava nenhum deslize. Uma de suas histórias  envolve Clodoaldo, o responsável pelo gol contra o Uruguai, na Copa de 70 (México), que fez o Brasil reagir e sair do campo com uma vitória rumo ao tetra, em Guadalajara.
Pois você é capaz de perguntar: mas o que tem o Zico a ver com uma coluna de automóvel?
Bem, ao receber o seu primeiro salário no Santos, o então garoto Clodoaldo, com menos de 20 anos, comprou seu primeiro carro. Ao chegar na Vila Belmiro para o treino, a bordo do possante, encontrou o “seo” Zico, como era conhecido por todos, na porta do estádio. E exibiu o carro, todo orgulhoso.
Zito o pegou pelo braço, fazendo entrar no carro. Seguiram em direção à loja, onde o negócio foi desfeito.
– Agora. com esse dinheiro, vai comprar um apartamento. Depois o carro,”ordenou”. E foi atendido.

 

1984, o ano que a VW produziu utensílios

 

Se você ainda  não conhece o Kabura, saiba que é um dos melhores restaurantes japoneses da cidade, precisa conhecer. Tradicional, lá você não vai  encontrar cream cheese, maionese, sushi de manga, morango ou abacate. Nada destes modernismos absurdos que nada têm com a verdadeira e deliciosa comida japonesa. Aliás, pena que o governo da terra do sol nascente não conseguiu levar adiante a ideia de só merecer o título de “Restaurante Japonês” quem seguisse determinadas normas que, certamente, não incluem sushi de tangerina. E lá no Kabura, além dos excelentes  sushi e sashimi, cuidadosa e respeitosamente preparados pelo Satoshi, um dos irmãos Tange da casa, a cozinha oferece coisas inesquecíveis que, com certeza, a maioria dos donos de “restaurantes japoneses” da cidade nunca ouviram falar. Tem para todos os paladares, inverno e verão. Carnes e vegetais. No inverno que se aproxima, e só nesta estação, Oden, uma delícia de caldo, aquecedor, com massa de peixe, legumes e conhaku (batata). Tem também Tempura, Yakissoba, Missoshiro e outros mais conhecidos. Para o verão, por exemplo, Maguro Tataki, um macarrão de semolina com legumes, servido gelado. Zaru Odon ou Zaru Soba, chegam à mesa frios em graciosas esteirinhas. Ton Katsu é porco à milanesa e Aspargo Maki é enrolado com contra filé, também à milanesa.  Um destaque especial para aquela que é uma das maiores delícias da casa: Enchova Grelhada. Sensacional! O responsável é o Hitoshi, o outro irmão Tange (se este nome não lhe é estranho, você está certo, Tange foi o primeiro restaurante japonês da moda em Sampa. Era do tio deles, o velho Tange.). O peixe é colocado em forma de ondas no espeto e assado com todo cuidado e carinho na brasa.

E a Volks com isso?

Agora você há de perguntar: o que a Volkswagen tem a ver com o Kabura?  É que os espetos, responsáveis pelo mais famoso prato da casa, Enchova, foram forjados, há 30 anos, na Fundição da fábrica, em São Bernardo do Campo. Um amigo dos dois irmãos – que trabalhavam na GM (são engenheiros) – disse que daria a eles espetos da melhor qualidade. Do melhor aço. E estava certo, em setembro próximo ano, o Kabura (em japonês, lenhador) completou 30 anos. E os espetos da Volkswagen lá estão, líderes da grelha.

Uma coisa precisa ser dita sobre o Kabura, para alertar quem vai lá pela primeira vez: cartões de crédito e débito não são bem vindos. Leve cheque ou dinheiro. E, complementando as informações, o Kabura é um Izakaya, espécie de adega no Japão. E fica na Rua Galvão Bueno (o único pecado da casa é ficar numa rua com este nome) 346, na Liberdade.


Deprecated: Directive 'track_errors' is deprecated in Unknown on line 0