Coluna “Vamos nos divertir?” – Por chicolelis

Le mans

 

Fim de semana tem Le Mans com três brasileiros na pista

Em sua 83ª edição, uma das mais famosas provas do circuito mundial de velocidade, Le Mans, no circuito de Sarthe, vai reunir mais de 100 pilotos e meia centena de máquinas velozes, pelos seus mais de 13 km de pista. Entre eles, três brasileiros. Pipo Derani vai correr de Nissan Nismo, carro com tração dianteira e que leva a responsabilidade de reverter a hegemonia daqueles que dominam a prova, com motores traseiros. Lucas di Grassi e Fernando Ree, são os outros dois brasucas, que correrão, respectivamente, pela Audi e Aston Martin. Le Mans forma, junto com Mônaco e Indianápolis, o triângulo mais famosos das corridas de automóveis. A curiosidade é que cada uma tem a sua categoria específica. A prova francesa, abriga o Mundial de Edurance (FIA WEC), a Indianápolis e F Indy e Mônaco a F1, que não se misturam. Talvez você diga, mas a F1 corre em Indy. Sim, mas não usa o oval e sim o circuito interno. A prova  de Le Mans começa no sábado, a partir das  e tem a duração de 24 horas. Porsche e Audi são as estrelas maiores na pista.A Fox Sport promete mostrar bons momentos da corrida, mas não ela toda: sábado, das 10h às 13:30h e, no domingo, a partir das 9 da manhã, com as voltas finais.

 

buracos 2

 

 

Detector de buracos da Jaguar Land Rover. Aqui só vai funcionar com  Gardenal

Vocês já devem ter lido que a que a Jaguar Land Rover, empresa indiana, sediada na Inglaterra, desde sempre, está desenvolvendo um sistema de detecção de buracos, valetas, tampas de bueiros quebradas e outros obstáculos que se encontra pelas vias públicas. Pois imaginem este equipamento aqui no Brasil, com o carro circulando pelas ruas de São Paulo,, Rio de Janeiro, BH, Campinas e a maioria das cidades brasileiras, com seus inúmeros obstáculos que surgem a cada meio metro de distância. A Jaguar Land Rover ia ter que fornecer por  anos, gratuitamente, doses e mais doses de Gardenal para que o equipamento não “enlouqueça” em poucos dias, ou horas,  de trabalho.
O projeto em desenvolvimento pela empresa é chamado “Pothole Alert”, o “Alerta de buracos”, que vai ajudar os motoristas a economizarem um bom dinheiro a cada ano com furos de pneus,m danos nos itens da suspensão e acidentes de trânsito. Tudo começou quando um Range Rover Evoque saiu pela Inglaterra portando um sistema capaz de identificar a localização e gravidade dos buracos e tampa de bueiros, ajustando a suspensão em milésimos de segundos.Estão vendo o porque da nossa preocupação com a “saúde mental” do sistema? E as informações colhidas, podem ser compartilhadas com outros carros, via “nuvem”, com todos ficando informados sobre os obstáculos existentes. Imaginem o tamanho da nuvem necessária pata abrigar todas as informações sobre os buracos existentes só em São Paulo, Capital.Além de outros motoristas, também as autoridades municipais e responsáveis por rodovias, receberiam as informações.
E vejam que a empresa empenhada em desenvolver este sistema é das mais competentes do mundo em veículos fora de estrada e tem sede da Inglaterra, onde os pisos estão muito acima da qualidade dos nossos tupiniquins.
Quero só ver quando o equipamento vier para o Brasil. Se é que haverá condições do mesmo registrar tanta buraqueira que enfrentamos no nossos dia-a-dia.
Você poderá ver o vídeo que mostra esta tecnologia entrando em  https://youtu.be/NPiynbknYVE. O download está disponível em  http://we.tl/4pcEhBMLmt

 

jipe

 

Foi fazer xixi e perdeu o Jeep da Marinha

Já faz muito tempo o acontecido. Era uma tarde de sol no porto de Santos, quando o Capitão dos Portos da época chegou em um dos armazéns para visitar um velho amigo, comandante de um navio ali ancorado. Uma visita rápida, para colocar em dia a conversa. O Capitão dos Portos, para quem não sabe, é o representante da Marinha nas cidades portuários, como Santos, São Sebastião (SP), São Luiz (MA) e muitas outras. A diferença entre elas é que, em Santos, fica a Vila mais famosa do mundo, a Vila Belmiro.
Chegando ao cais, o motorista da Capitania parou o Jeep ao lado da escada de acesso ao navio, viu o comandante subir e correu atrás de um WC para atender uma de suas necessidades fisiológicas (a nº 1).
Olhou para um pessoal que estava ali perto e pediu: dá uma olhada ai no Jeep que já volto. Ouviu um OK! e foi se aliviar.
Como a visita foi curta, ao voltar para o Jeep, encontrou-se com o comande já a postos.
Mas cadê o Jeep?
Sumiu!
Procura daqui, procura de lá e nada!
Coitado do soldado, quase teve que correr pro banheiro de novo (para o nº 2, claro).
Ninguém sabia onde estava p Jeep da Capitania dos Portos.
A solução seria arrumar outro veículo para levar o Comandante de volta.
Por minutos, depois, quando situação se tornara realmente crítica para o pobre motorista, e um silêncio tomou conta do pedaço,  alguém grita, lá de baixo do porão do navio: que raio de Jeep é esse aqui, cinza, com uma âncora pintada, diferente dos outros. Quem colocou esta m…. aqui?
É que naqueles tempos, a Ford fabricava o Jeep e o exportava para alguma parte do Mundo.E, por erro de alguém na contagem do embarque, o Jeep da Marinha foi colocada no guindaste e embarcado, sem que ninguém tenha percebido o equívoco.
Histórias do cais do porto.

 

 


Deprecated: Directive 'track_errors' is deprecated in Unknown on line 0