Goiânia será palco da Corrida do Milhão

Stock Santa Cruz

Como esperado, foi com os termômetros superando os 30 graus que Goiânia se prepara para a Corrida do Milhão, sétima e mais aguardada etapa do calendário da Stock Car. Com a previsão de que as altas temperaturas se mantenham até domingo, quando será conhecido o ganhador do cobiçado prêmio de R$ 1 milhão, a ordem é se preparar da melhor maneira possível para minimizar os efeitos das altas temperaturas em componentes como motor, freios e pneus.
O diretor-técnico da Prati-Donaduzzi, equipe do vice-líder Júlio Campos e seu companheiro Antonio Pizzonia, está preocupado com o clima quente da capital de Goiás. “Na prova passada em Curitiba, onde o calor nem estava tão forte, alguns motores já enfrentaram problemas de superaquecimento. Por isso, vamos usar um novo óleo aqui nesta prova e os parâmetros para entrada em funcionamento do sistema de proteção contra quebras também foram alterados”, explicou o uruguaio Juan Carlos “Mico” Lopez. Mico, no entanto, acredita que os freios resistirão bem às exigências das temperaturas elevadas. “Já corremos com freios novos em Curitiba e eles funcionaram bem nesse aspecto, embora alguns pilotos, como o Pizzonia, tenham sofrido com o travamento das rodas. Sinceramente, acho que os freios aqui não serão uma questão muito séria”, observou. Sobre os pneus, a incógnita permanece. “Vamos ter de esperar pelo início dos treinos para ver qual será o comportamento deles.”
A categoria está retornando ao palco da abertura do campeonato em março, quando a corrida de duplas com convidados especiais atraiu astros importantes do automobilismo internacional – a Prati-Donaduzzi trouxe Bruno Senna e Nicolas Prost, marcando a reunião de dois nomes de peso depois de 26 anos da parceria de Ayrton Senna e Alain Prost na McLaren. Mico disse que a expectativa é otimista. “Foi a primeira corrida com os pneus deste ano e aprendemos bastante desde então. Nosso carro está muito mais desenvolvido em termos de acerto do que naquela época”, avisou.
Se o calor incomoda os pilotos, majoritariamente residentes em São Paulo e outras capitais das regiões Sul e Sudeste, o amazonense Pizzonia parece à vontade no ambiente sempre abrasador do autódromo de Goiânia. “Lá em Manaus, onde moro, as temperaturas não apenas são parecidas, às vezes até superiores, como é muito mais úmido, o que só aumenta a sensação térmica”, lembra. Triatleta amador, Pizzonia deve ser o piloto mais bem-preparado na corrida rumo à bolada que os pilotos inauguram com os treinos livres desta sexta-feira.
O líder do campeonato é Marcos Gomes.


Deprecated: Directive 'track_errors' is deprecated in Unknown on line 0