Gomes dá mais um show na Stock

marcos campo grande

80 ou 88. Os carros verdes da equipe Voxx Racing dominaram as vitórias nas duas corridas da nona etapa do Circuito Schin Stock Car, disputadas neste domingo (13) no Autódromo de Campo Grande (MS). Na prova mais longa, de 48 minutos, Marcos Gomes venceu e aumentou sua margem na liderança no campeonato e na bateria mais curta, de 28 minutos e que larga com o grid invertendo os dez primeiros colocados, a vitória ficou com o jovem tocantinense Felipe Fraga em uma volta final de tirar o fôlego. Ambas as provas foram bastante movimentadas.
O pole position Marcos Gomes só foi ameaçado no início da primeira corrida por Allam Khodair, que depois se viu na briga com Ricardo Maurício e Daniel Serra. Mesmo assim, o piloto da Full Time conseguiu se manter em segundo. A terceira posição só foi definida na última volta. Daniel Serra cometeu um erro no giro final e o último degrau do pódio ficou nas mãos cansadas de Thiago Camilo, que fez a corrida inteira sem a direção hidráulica de seu carro e demonstrava bastante cansaço. Para Gomes, que já adota uma estratégia mais conservadora, embora busque somar o máximo possível de pontos a cada etapa para manter-se com uma margem confortável na liderança do campeonato, a vitória veio em excelente momento. Foi a terceira do ano.
“Ótimos pontos na liderança. Temos um ótimo carro e foi uma grande vitória. Estou muito feliz com o andamento do final de semana. Sei que não posso me acomodar, porque os adversários são muito fortes”, resumiu Gomes, que soma agora dez vitórias em sua carreira no Circuito Schin Stock Car.
Cacá Bueno poupou-se para manter a décima colocação e o direito de largar em primeiro na inversão do grid para a bateria complementar. Apesar das nuvens ameaçadoras, a chuva desta vez não veio.
“Larguei sabendo que tinha de terminar com oito acionamentos do push to pass para poder ganhar a segunda e infelizmente meu carro começou a sair muito de frente. O (Ricardo) Zonta se aproximou e eu tive que usar mais dois para fugir dele e na última volta ele chegou de novo porque o Daniel (Serra) cometeu um erro e juntou o bolo. Como eu não sabia se ele tinha push eu usei mais um na reta de chegada e terminei com apenas cinco para a segunda corrida. Aí tudo se definiu, porque os outros tinham sete ou oito acionamentos e eu só cinco. Acho que o resultado da segunda prova se definiu nas quatro voltas finais da primeira bateria”, explicou Cacá.
Nas primeiras voltas da corrida complementar, de 28 minutos, os ponteiros se estabeleceram com Bueno na frente seguido por um surpreendente Felipe Fraga – que largou em quinto – seguido da dupla da Eurofarma com Ricardo Maurício e Max Wilson, e Rubens Barrichello chegando para a briga. Com mais botões de ultrapassagem, Fraga deu o bote para cima de Cacá e tomou a liderança. Chegou a abrir quase três segundos, e na última volta quase pôs tudo a perder.
“O carro estava sobrando e na última volta eu estava até mais lento do que podia: eu acabei reduzindo marchas tão antes na curva 1 que isso bloqueou o diferencial do carro e eu passei reto”, contou. A torcida se levantou com Cacá Bueno retomando a ponta, mas a alegria do pentacampeão da Red Bull durou apenas alguns metros.
“O (Felipe) Fraga quase me devolveu a vitória na última volta com um erro que ele cometeu, mas na reta oposta ele usou um push e eu não tinha mais. Ele retomou a posição e correu para o abraço”, narrou Bueno. “Graças a Deus eu tinha esse último push guardado e consegui passar o Cacá na reta oposta”, aliviou-se Fraga, que venceu pela terceira vez na carreira no Circuito Schin Stock Car.
O jovem tocantinense contou sua estratégia. “Na primeira corrida eu poderia ter ido um pouco mais para frente, porque o carro estava perfeito. Meu engenheiro me alertou para economizar os acionamentos do push no final porque o Rubinho estava chegando em mim na primeira corrida. Eu obedeci e pude usar mais na segunda prova”, afirmou.
Fraga vinha de uma temporada bastante irregular, sem nenhuma presença no pódio até então. Ele foi um dos envolvidos no grave acidente da sexta etapa, em Curitiba, quando o carro de Thiago Camilo teve problemas e estava lento na pista. Na ocasião, Felipe acertou em cheio o carro do adversário e passou uma noite em observação no hospital – embora nenhuma lesão fora constatada. “Este tem sido um ano difícil – meu ano de estreia foi até melhor -, mas estou na melhor equipe da Stock Car. Tenho que agradecer por eles nunca terem desistido de mim e hoje o resultado veio”, reconheceu. Marcos Gomes fechou a bateria complementar em 12º, mas mesmo assim abriu mais três pontos de vantagem para Cacá Bueno. Agora são 34 (209 a 175). Rubens Barrichello, campeão do ano passado, subiu à quarta posição depois de fazer um quinto e um quarto lugar em Campo Grande. Daniel Serra permanece em terceiro. A décima e antepenúltima etapa do Circuito Schin Stock Car acontece em Curitiba (PR), no dia 18 de outubro.
Marcos Campo Grande 2

Resultado da Corrida 1*: 1-) 80 Marcos Gomes (Voxx Racing Team) – 30 voltas em 47min59s761 (média de 131,7 km/h) 2-) 18 Allam Khodair (Full Time Sports) – a 1s840 3-) 21 Thiago Camilo (Ipiranga-RCM) – a 10s347 4-) 90 Ricardo Mauricio (Eurofarma RC) – a 10s347 5-) 111 Rubens Barrichello (Full Time Sports) – a 11s270 6-) 88 Felipe Fraga (Voxx Racing Team) – a 12s263 7-) 29 Daniel Serra (Red Bull Racing) – a 15s434 😎 65 Max Wilson (Eurofarma RC) – a 16s570 9-) 4 Julio Campos (Prati-donaduzzi) – a 16s850 10-) 0 Cacá Bueno (Red Bull Racing) – a 17s376 11-) 10 Ricardo Zonta (Shell Racing) – a 17s376 12-) 77 Valdeno Brito (Shell Racing) – a 18s492 13-) 73 Sergio Jimenez (Axalta C2 Team) – a 24s765 14-) 51 Átila Abreu (AMG Motorsport) – a 25s986 15-) 110 Felipe Lapenna (Schin Racing Team) – a 28s937 16-) 1 Antonio Pizzonia (Prati-donaduzz)i – a 29s191 17-) 8 Rafael Suzuki (RZ Motorsport) – a 29s682 18-) 83 Gabriel Casagrande (Axalta C2 Team0 – a 30s857 19-) 70 Diego Nunes (Vogel Motorsport) – a 35s046 20-) 14 Luciano Burti (RZ Motorsport) 36s582 21-) 46 Vitor Genz (Boettger Competições) – a 51s705 22-) 26 Raphael Abbate (Hot Car Competições) – a 1 Volta 23-) 9 Gustavo Lima (ProGP) – a 1 Volta 24-) 74 Popó Bueno (Total Racing) – a 4 Voltas 25-) 72 Fabio Fogaça (Hot Car Competições) – a 6 Voltas 26-) 28 Galid Osman (Ipiranga-RCM) – a 6 Voltas 27-) 11 Cesar Ramos (Total Racing) – a 8 Voltas NÃO COMPLETOU 75% 28-) 12 Lucas Foresti (AMG Motorsport) – a 21 Voltas 29-) 2 Raphael Matos (Schin Racing Team) – a 21 Voltas 30-) 5 Denis Navarro (Vogel Motorsport) – a 21 Voltas 31-) 25 Tuka Rocha (União Química Racing) – a 24 Voltas 32-) 3 Bia Figueiredo (União Química Racing) – a 25 Voltas Melhor volta: Allam Khodair, 1min26s713 (145,8 km/h) *Resultados sujeitos a verificações técnicas e desportivas
Resultado da Corrida 2*: 1-) 88 Felipe Fraga( Voxx Racing Team) – 18 voltas em 27min26s476 (média de 138,3 km/h) 2-) 0 Cacá Bueno (Red Bull Racing) – a 0s553 3-) 90 Ricardo Mauricio (Eurofarma RC) – a 1s190 4-) 111 Rubens Barrichello (Red Bull Racing) – a 1s571 5-) 65 Max Wilson (Eurofarma RC) – a 2s125 6-) 29 Daniel Serra (Red Bull Racing) – a 4s634 7-) 18 Allam Khodair (Full Time Sports) – a 4s634 😎 73 Sergio Jimenez (Axalta C2 Team) – a 5s170 9-) 77 Valdeno Brito (Shell Racing) – a 5s906 10-) 14 Luciano Burti (RZ Motorsport) – a 9s049 11-) 10 Ricardo Zonta (Shell Racing) – a 12s696 12-) 80 Marcos Gomes (Voxx Racing Team) – a 13s668 13-) 51 Átila Abreu (AMG Motorsport) – a 14s420 14-) 83 Gabriel Casagrande (Axalta C2 Team) – a 15s608 15-) 26 Raphael Abbate (Hot Car Competiçõe)s – a 18s066 16-) 46 Vitor Genz (Boettger Competições) – a 18s712 17-) 21 Thiago Camilo (Ipiranga-RCM) – a 19s019 18-) 8 Rafael Suzuki (RZ Motorsport) – a 24s259 19-) 9 Gustavo Lima (ProGP) – a 34s152 20-) 4 Julio Campos (Prati-donaduzzi) – a 3 Voltas 21-) 28 Galid Osman (Ipiranga-RCM) – a 4 Voltas NÃO COMPLETOU 75% 22-) 74 Popó Bueno (Total Racing) – a 9 Voltas 23-) 110 Felipe Lapenna (Schin Racing Team) – a 10 Voltas 24-) 11 Cesar Ramos (Total Racing – a 11 Voltas 25-) 25 Tuka Rocha (União Química Racing) – a 12 Voltas 26-) 1 Antonio Pizzonia (Prati-donaduzzi) – a 14 Voltas 27-) 70 Diego Nunes (Vogel Motorsport) – a 17 Voltas 28-) 72 Fabio Fogaça (Hot Car Competições) – não largou 29-) 12 Lucas Foresti (AMG Motorsport) – não largou 30-) 2 Raphael Matos (Schin Racing Team) -não largou 31-) 5 Denis Navarro (Vogel Motorsport) – não largou 32-) 3 Bia Figueiredo (União Química Racing) – não largou Melhor volta: Ricardo Maurício, 1min26s584 (146,1 km/h) *Resultados sujeitos a verificações técnicas e desportivas
Classificação do campeonato após nove etapas 1-) Marcos Gomes – 209 pontos; 2-) Cacá Bueno – 175; 3-) Daniel Serra – 156; 4-) Rubens Barrichello – 142; 5-) Allam Khodair – 140; 6-) Thiago Camilo – 138; 7-) Max Wilson – 136; 😎 Julio Campos – 133; 9-) Ricardo Maurício – 128; 10-) Valdeno Brito – 120; 11-) Sergio Jimenez – 93; 12-) Felipe Fraga – 93; 13-) Ricardo Zonta – 93; 14-) Diego Nunes – 90; 15-) Átila Abreu – 89; 16-) Antonio Pizzonia – 65; 17-) Galid Osman – 62; 18-) Vitor Genz – 60; 19-) Griel Casagrande – 53; 20-) Raphael Matos – 50; 21-) Luciano Burti – 47; 22-) Tuka Rocha – 41; 23-) Denis Navarro – 38; 24-) Rafael Suzuki – 37; 25-) César Ramos – 31; 26-) Popó Bueno – 29; 27-) Lucas Foresti – 29; 28-) Felipe Lapenna – 29; 29-) Raphael Abbate – 19 30-) Bia Figueiredo – 7; 31-) Guga Lima – 5; 32-) Fabio Fogaça – 3;


Deprecated: Directive 'track_errors' is deprecated in Unknown on line 0