Kawasaki Versys 650 chega ao Brasil em junho

De olho no crescente mercado de motos de 600 cm³, a Kawasaki traz para o Brasil a cobiçada dual purpose Versys 650. Como o próprio nome denuncia a Versys foi criada pra oferecer versatilidade. O modelo agrega características de motos street, trail, supermotard e até tourer. Alvo de boas críticas no exterior, a Versys compartilha o mesmo motor bicilíndrico da naked ER-6n, porém com suspensões de longo curso, banco largo, para-brisa e uma proposta de uso misto. E já chega com o visual renovado (modelo 2010) em versões com e sem o sistema de freios ABS (antitravamento).

Há algum tempo se especulava a vinda deste modelo para o mercado nacional, afinal diversos componentes da Versys já são usados na ER-6n. Um deles é o motor de dois cilindros paralelos, 649 cm³ de capacidade, duplo comando de válvulas no cabeçote (DOHC) e refrigeração líquida. Mas para se adequar à proposta da Versys, o propulsor foi alterado para oferecer melhor rendimento em médios regimes, além de uma resposta mais linear. Também alimentado por injeção eletrônica, na Versys o bicilíndrico gera 64 cv de potência máxima a 8.000 rpm (contra os 72 cv a 8.500 rpm na versão naked). O torque também fica um pouco abaixo: 6,2 kgfm a 6.800 rpm (contra 6,7 kgf.m a 7.000 rpm).

Lançada na Europa e na América do Norte em 2006, a Versys tinha como maior crítica o visual um tanto quanto defasado e sem alterações até o ano passado. Mas para 2010 a Versys ganhou um visual totalmente renovado e moderno. O novo conjunto óptico conta com linhas mais agressivas e facho mais eficiente. Também foi alterado o para-brisa que, no modelo novo, pode ser ajustado em três posições. A ergonomia foi revista buscando um maior conforto. O suporte do motor e as pedaleiras receberam capas de borracha para diminuir a vibração sentida pelo piloto. E a traseira também foi redesenhada para acompanhar o novo design. 

Ciclística
Como em toda boa moto de uso misto as suspensões têm longo curso, para absorver impactos e irregularidades do asfalto. A suspensão traseira tem um amortecedor fixado lateralmente com 145 mm de curso. Na dianteira, o garfo telescópico invertido (upside-down) tem 150 mm de curso. Um diferencial do modelo em sua categoria é que ambas as suspensões tem regulagem de retorno e pré-carga.

Com essa configuração, a moto entraria facilmente na categoria trail. Contudo a veia street/supermoto começa a aparecer nos pneus, rodas e freios. As rodas de 17 polegadas recebem pneus nas medidas 120/70-17 (dianteira) e 160/60-17 (traseira), iguais aos da ER-6n. Assim como os freios, de duplo disco na dianteira (300 mm de diâmetro) e simples na traseira (220 mm de diâmetro), todos no formato wave/margarida. Outro diferencial é que a Kawasaki vai comercializar por aqui a versão equipada com sistema de freios antitravamento (ABS).

Mercado
A Kawasaki Versys desembarca no Brasil com preço público sugerido de R$ 33.990 na versão básica e R$ 37.390 com ABS, sem frete. A previsão é que a nova 650 cm³ esteja disponível em todas as autorizadas da marca a partir de junho.

Antes da Versys, o mercado brasileiro das motos de uso misto e com dois cilindros tinha duas opções: a BMW F 650 GS e a Suzuki DL 650 V-Strom, esta última com dois cilindros em V. Especula-se ainda que no futuro seja importada a Honda Transalp 700, o que esquentaria ainda mais a categoria.

Em função de seu preço, o novo modelo da Kawasaki disputa o consumidor da Suzuki V-Strom (R$ 34.594). Entrentanto, a J.Toledo/Suzuki não comercializa no País a V-Strom 650 com freios ABS. Diferente do que muitos imaginavam a nova Kawasaki Versys 650 não concorre com a consagrada a Yamaha XT 660R. Primeiramente, por estar em uma faixa de preço acima, além de ser equipado com propulsor bicilíndrico, enquanto a velha XT 660R é monocilíndrica. (Agência Infomoto/Lucas Rizzollo)


Deprecated: Directive 'track_errors' is deprecated in Unknown on line 0