Le Mans tem crescimento de 33,5%

O Grupo Citroën Le Mans, principal rede de concessionárias da Citroën no Interior de São Paulo e com duas unidades na Capital paulista, atingiu a marca de 7.648 veículos novos comercializados em 2011. O número representa um crescimento de 33,5% em relação ao ano anterior, quando 5.729 carros da marca foram vendidos pelas lajas do Grupo. O Grupo superou o crescimento da própria montadora no Brasil, de 7,11%. Os números são ainda mais expressivos se comparados com a evolução de 2,71% no mercado automotivo brasileiro.

Para o diretor do Grupo Citroën Le Mans, Rodrigo Stefanini, a qualidade dos novos lançamentos Citroën e a abertura de lojas em São Paulo foram os principais fatores para o sucesso das onze concessionárias. Stefanini também ressaltou a importância das lojas do interior paulista, que contribuíram com 15% de aumento nas vendas do universo de crescimento da Le Mans.
O Grupo Le Mans está presente hoje nas cidades de Campinas (duas unidades), Jundiaí, Indaiatuba, Americana, Limeira, Piracicaba, Rio Claro, Bragança Paulista e na Capital paulista (duas lojas).

CITROËN. A Citroën fechou o ano de 2011 com 90.036 veículos emplacados, o que levou a marca a um crescimento de 7,11% sobre o volume do ano anterior, de 84.056 unidades. Num cenário de mercado de automóveis e comerciais leves que chegou a 3,414 milhões de unidades (+2,71%), a Citroën ocupou uma fatia crescente de 2,64% em relação aos 2,53% de participação em 2010. Francesco Abbruzzesi, diretor geral da Citroën do Brasil, credita o resultado positivo da marca ao sucesso das minivans Aircross e C3 Picasso – três vezes premiado pela Imprensa especializada em 2011 – e ao desempenho importante do compacto premium C3, que somou 37,6 mil unidades ao longo do ano.
Para 2012, a Citroën projeta superar a marca de 100 mil veículos vendidos, elevando a sua participação para acima de 3% do volume de automóveis e comerciais leves vendidos no mercado brasileiro. Abbruzzesi aponta dois fatores importantes para o crescimento da marca neste ano que se inicia: o lançamento de duas grandes novidades em termos de produto e a expansão da rede de distribuição para 185 concessionárias até dezembro.
No último mês de 2011, a marca vendeu 7.798 unidades, crescendo 12% sobre novembro num segmento marcado por uma concorrência bastante agressiva e com a mídia bombardeada por uma autêntica guerra de preços e ofertas. Neste cenário, a Citroën mantém no ar sua campanha sem juros para a gama C4 Hatch/C4 Pallas e, também, para o Citroën Aircross.
Por gama de produto, o C3 continua sendo o veículo mais vendido da marca com o emplacamento de 3.082 unidades em novembro, chegando a um volume acumulado no ano de 37.575 unidades, o que o coloca entre os cinco melhores resultados do segmento B Premium Hatch. O Aircross emplacou 1.410 unidades em dezembro e acumulou 16.718 desde janeiro, um excelente resultado em seu primeiro ano pleno de vendas, seguido pelo C3 Picasso, respectivamente com 637 e 4.709 emplacamentos.
A linha de automóveis C4 registrou 18.267 unidades de janeiro e dezembro, com o C4 Hatch emplacando 11.016 veículos e o C4 Pallas, 7.251 unidades. A gama de monovolumes fechou 2011 com 9.664 veículos vendidos e assim distribuídos: Xsara Picasso (4.431 unidades), C4 Picasso (4.397) e Grand C4 Picasso (836). Complementando o quadro de vendas da marca, o C5, nas versões Sedan e Tourer, acumulou 568 unidades, e a linha de comerciais leves Jumper Minibus e Furgão, 2.531 unidades.


Deprecated: Directive 'track_errors' is deprecated in Unknown on line 0