Mesmo com crise, Randon tem lucro

Randon

 

Após o terceiro ano consecutivo de retração econômica que exigiu forte controle de despesas e adequação da capacidade fabril aos volumes de mercado, a Randon S.A Implementos e Participações continua apostando no mercado nacional e na ampliação das exportações, reforçando, também, as iniciativas no segmento de reposição para fazer frente à alta ociosidade de suas fábricas. “A Randon está ingressando numa nova Era”, diz o presidente David Abramo Randon, referindo-se à política de gestão de custos na estrutura, gestão e processos das empresas nos últimos anos para enfrentamento da crise.

Em 2016, a receita bruta total da Randon S.A,com impostos e antes da consolidação, somou R$ 3,7 bilhões, 13,1% inferior à de 2015. No mesmo exercício, a receita líquida consolidada atingiu R$ 2,6 bilhões, 15,3% menor quando comparada ao ano anterior. A divisão autopeçasrespondeu por 50,1% das receitas da Companhia e a divisão implementos por 44,4%, enquanto os serviços financeiros representaram 5,5%. A participação menor (5,6 pontos percentuais) da área de implementos na receita é creditada à redução de 20,8% no volume de vagões faturados. O EBITDA de R$ 142,7 milhões registrado no último ano foi 11,8% inferior a 2015 e o EBITDA Ajustado ao final de 2016 somou R$ 252,1 milhões. 

Fruto desta conjuntura adversa, a Randon apresentou um lucro bruto de R$ 520,9 milhões no acumulado de 2016 (19,9% da receita líquida consolidada) e que representa uma redução de 18,7% em relação a 2015. O prejuízo líquido foi de R$ 67,2 milhões, com margem líquida de  -2,6%. Para Geraldo Santa Catharina, Diretor Financeiro e de Relações com Investidores,  “os últimos exercícios foram desafiadores e impuseram à Companhia medidas difíceis e complexas em prol da adequação ao impacto da economia nos negócios, que mantém a saúde financeira da empresas em condições para atravessar a longa crise”.   

Exportações 

Dentro de sua estratégia de internacionalização e para fazer frente à prolongada retração da demanda no mercado interno, a Randon S.A intensificou as ações nos mercados internacionais, apesar das crises também localizadas em outros países. Entre as iniciativas está em andamento o projeto de viabilidade para aumentar as exportações pelo sistema CKD, ou seja, o envio do produto em partes a ser montado no local de destino. Em 2016, as vendas consolidadas para o exterior encerraram em US$ 151,6 milhões, 4,2% inferiores a 2015. A representação do mercado externo em proporção à receita líquida consolidada aumentou de 16,9% em 2015 para 20% em 2016. As unidades externas faturaram US$ 113,6 milhões (planta de veículos rebocados na Argentina e as unidades controladas pela Fras-le no exterior – EUA e China), o que totalizou US$ 265,2 milhões em 2016 ou 11,9% menor do que em 2015.


Deprecated: Directive 'track_errors' is deprecated in Unknown on line 0