Radares entregarão motoristas que não passarem pela inspeção

Do 1,9 milhão de automóveis e motocicletas matriculados em São Paulo que deveriam ter passado pela inspeção ambiental em 2009, cerca de um quarto ainda não compareceu à vistoria obrigatória. O prazo para a regulamentação foi estendido até o fim deste mês. Após essa data, carros, motos, ônibus e caminhões em situação pendente terão o licenciamento bloqueado e podem levar quatro multas mensais de R$ 550.
A fiscalização será feita também pelos radares que “lêem” placas e “deduram” infratores do rodízio municipal de veículos, responsáveis por 27% das infrações de trânsito, que somam cerca de 600 mil mensais.


O Programa de Inspeção Veicular Ambiental vem sendo implantado gradativamente em São Paulo, desde 2008 e 2009 e terá novidades em 2010. Neste ano o programa atingirá 100% da frota paulistana, calculada em 6,5 milhões de veículos, que será convocada para realizar a inspeção, completando assim o ciclo da progressividade da implantação.
A Mastra Escapamentos e Catalisadores, líder em tecnologia para sistemas de exaustão apóia essa iniciativa. O objetivo da empresa vai ao encontro da conscientização da sociedade em buscar melhor qualidade de vida, produzindo sistemas que reduzem os riscos a saúde do consumidor e a poluição do ar. Todo esse esforço é direcionado a favor da saúde das pessoas, seja dentro da fábrica ou interagindo com a sociedade.
A Inspeção Veicular Ambiental é uma necessidade imediata para melhorar a qualidade de vida do paulistano. Está prevista por lei e todos os procedimentos adotados são aqueles preconizados pelo CONAMA (Conselho Nacional do Meio Ambiente) em sua resolução número 7.
Diante da abrangência nacional de caráter obrigatório, o peso do subsídio e a implantação integral do programa na cidade, a Prefeitura de São Paulo vai suspender a devolução da tarifa da inspeção em 2010.
O catalisador é avaliado durante a Inspeção Ambiental Veicular para saber se a carcaça está no local, porém é na análise de gases, com uma sonda colocada na saída do escapamento do veículo, que serão verificados os níveis de emissões de monóxido de carbono e hidrocarbonetos, para saber se o catalisador está operante ou não. O catalisador é uma peça obrigatória no sistema de exaustão dos veículos desde 1997, responsável por converter mais de 95% dos gases tóxicos gerados durante a combustão.
Um catalisador genuíno, que vem no veículo novo, tem durabilidade mínima de 80 mil quilômetros. Trincas, quebras, derretimento e entupimento da cerâmica também são sinais para a troca imediata, além da não conversão dos gases. Os catalisadores para o mercado de reposição têm durabilidade mínima de 40 mil.


Deprecated: Directive 'track_errors' is deprecated in Unknown on line 0