Nova pista no RS deve ser a mais estratégica do ano

A inauguração do Velopark deverá ser apenas um detalhe na movimentação prometida pela 3ª etapa da Copa Caixa Stock Car, que será disputada neste domingo (02/5) no mais novo autódromo brasileiro, em Nova Santa Rita, a 30 km de Porto Alegre (RS). Em virtude das peculiaridades do circuito, a prova estará envolta de muitas decisões estratégicas.

“Será como um jogo de xadrez, decidir entre atacar e defender em cada reta”, opina Gustavo Sondermann (Aon/Icec), o melhor estreante da temporada. O líder do certame é Max Wilson (Eurofarma RC), com 39 pontos, seguido de Nonô Figueiredo (Cosan), com 32, e Atila Abreu (AMG Motorsport) em terceiro, com 29.

Com apenas 2.153 metros de comprimento, mas com duas longas retas – a principal com 820 metros e a oposta com 540 metros -, as possibilidades de ultrapassagens aumentam por causa das duas fortes freadas, para o contorno de curvas de velocidades reduzidas. “A corrida deve ser bem disputada. Como as retas são longas, a estratégia para o uso do push to pass será fundamental. Isto porque se você usar em uma volta, não conseguirá usar na seguinte, já que as voltas devem girar por volta dos 55 segundos”, acredita Sondermann.

O push to pass é um artifício dos Stock Car que aumenta entre 30 e 50 cavalos a potência do motor quando acionado por um período de 15 segundos, atingindo até 520 hp, facilitando uma ultrapassagem ou ajudando o piloto a se defender.

O experiente Ingo Hoffmann, doze vezes campeão da Stock Car e atuando como diretor esportivo da AMG Motorsport ressalta que está orientando os seus pilotos Átila Abreu e Gustavo Sondermann para tomarem alguns cuidados. “A estratégia do uso do push to pass será decisiva. Tem que usar corretamente tanto para atacar como para defender”, analisa. “Mas eles tem que ficar fora dos enroscos. Vai ter muita confusão no final das retas, pois os carros vão chegar muito rápidos e os cotovelos são apertados. Tem que se defender de forma correta para também não ser jogado para fora”, avisa.
Outro ponto importante na análise de Ingo Hoffmann será o trabalho de box, que foi fundamental para o bom resultado de Átila e Gustavo, principalmente na abertura do campeonato. “O pit stop será muito importante. A equipe tem que chamar o piloto na hora certa. O abastecimento e a troca de pneus devem ser eficientes, pois o gasto de tempo deverá ser muito igual pra todo mundo”, pondera.


Deprecated: Directive 'track_errors' is deprecated in Unknown on line 0