Fundação organiza encontro de Romi-Isettas

As Indústrias Romi e Fundação Romi estão organizando um Encontro Nacional de Romi-Isettas, que deverá acontecer no dia 19 de junho, como parte das comemorações dos 80 anos das Indústrias Romi.

Segundo a organização do encontro, cerca de 30 Romi-Isettas, vindas de diversos lugares do Brasil devem comparecer ao evento, que terá início às 9h00 no Centro de Documentação Histórica – CEDOC, em Santa Bárbara d’Oeste. Haverá também um desfile pelas ruas da cidade.

O Romi-Isetta foi o primeiro carro fabricado em série no Brasil, produzido de 1956 a 1961 pelas Indústrias Romi SA. Fundada em 1930 pelo descendente de imigrantes italianos Américo Emílio Romi e por seu enteado Carlos Chiti, a Romi buscou na iItália o projeto do Iso Isetta, desenvolvido pelo engenheiro aeronáutico Ermenegildo Preti e seu colaborador Pierluigi Raggi para a fábrica de motocicletas Iso s.p.a, de Milão.

Em 5 de setembro de 1956, era oficialmente lançado o Romi-Isetta, com um desfile com os primeiros 30 carros pelas principais ruas de São Paulo. Foram produzidos cerca de 3.000 carros no Brasil.

O Romi-Isetta incorporou conceitos tecnológicos de aviação e aerodinâmica muito avançados, e tem várias características marcantes, como estilo único (assinado pelo designer italiano Giovanni Michelotti), a porta frontal única, motor transversal localizado entreeixos, dimensões extremamente compactas que conferem ao veículo extrema agilidade, aliada a consumo de combustível muito reduzido. O Romi-Isetta pode transportar 2 adultos e uma criança, atinge velocidade máxima em torno de 85 km/h, e tem consumo de 25 km/l.

Atores, cineastas e outros artistas e personalidades se reuniam em torno do Romi-Isetta Club para passeios, reides e gincanas. Alguns dos passeios mais notáveis incluíram a Gincana dos Artistas, no balneáreo do Guarujá, e a caravana São Paulo – Rio, organizada pelo cineasta e fundador do Clube, Anselmo Duarte, para marcar o lançamento de seu filme “Absolutamente Certo”, que conta com a participação de exemplares do Romi-Isetta como protagonistas. Outro momento histórico foi a participação na Caravana de Integração Nacional, culminando com a entrada em Brasília com o presidente JK em 02/02/1960.

O Romi-Isetta teve seu ciclo de vida como produto encerrado em 1961, e marcou profundamente mais de uma geração de brasileiros. Hoje em dia, com as questões ambientais e energéticas, volta-se a falar do Romi-Isetta, cujos conceitos vêm sendo aplicados em veículos urbanos de nova produção.


Deprecated: Directive 'track_errors' is deprecated in Unknown on line 0