Túlio vence a etapa de São José dos Campos

 A cidade do interior paulista recebeu nos dias 22 e 23/05, pela primeira  vez, uma prova da competição organizada pela Peugeot Sport. Entre as 27  duplas participantes, a vitória na categoria 207 Super ficou com a dupla  paranaense formada por Rafael Túlio e César Valandro; na 207 Máster, deu   Luís Carlos Frantz e KZ Morales; e na 206, os irmãos Clécio e Sandro        Maestrelli (PR) conseguiram o segundo êxito do ano 

A prova foi marcada pelos trechos rápidos. Em  oito  trechos  cronometrados,  os  78 quilômetros de prova impuseram um ritmo forte aos 27 pilotos e navegadores que participaram pela primeira vez de  uma etapa organizada pela Peugeot Sport nessa região do Estado. “Foi um rali  muito  difícil  e  técnico.  Como  a  velocidade  era muito alta e as especiais  lisas,  tivemos  de  administrar  o ritmo da corrida após alguns sustos”,  comentou  Rafael  Túlio, que se reencontrou com a vitória na Copa Peugeot ao lado do navegador César Valandro (categoria 207 Super). 

O  piloto  Ulysses  Bertholdo  (RS),  segundo  colocado,  concordou  com  o concorrente.  “Andei  no meu limite, mas com segurança. Como fizemos alguns trechos  em  quarta  e  quinta  marchas o tempo todo, qualquer erro poderia comprometer o resultado”, afirmou o líder do campeonato.

 A  dupla  vencedora  fez  uma  prova  consistente,  vencendo cinco das oito especiais.  Outra  equipe  que  se destacou, só que na 207 Máster, foi a de Luís  Carlos  Frantz (SC) e KZ Morales (DF), que ganhou quatro especiais no fim  de  semana.  O  piloto  se disse “assustado” com a velocidade do rali.

“Venho  das  competições  de  cross  country, por isso estou me acostumando ainda. Mas com esse resultado, só temos a comemorar”.

 As  grandes retas – uma delas chegou a quase dois quilômetros – e o piso em ótimas  condições incentivaram os competidores a acelerar fundo. Foi aí que as   especiais   se   mostraram   traiçoeiras.  Trechos  de  boa  aderência alternaram-se  a  outros  com  muito  cascalho,  tanto  em  subidas como em descidas.  Os  erros mais agudos resultaram na exclusão da etapa, como o do gaúcho Luís Stédile, campeão do ano passado, e Armando Miranda.

 Logo  na  primeira especial de sábado a dupla errou numa freada vindo de um trecho  em alta e saiu da pista. A grama não evitou a capotagem do carro ao pegar  uma  valeta  para  escoamento  da  chuva.  Outras duas duplas também ficaram pelo caminho.

 A  competitividade da prova se mostrou ainda maior na categoria de entrada, a  206.  Mesmo  vencendo  seis  especiais nos dois dias, os irmãos Clécio e Sandro  Maestrelli  (PR) terminaram o sábado apenas 1,6 segundo à frente da dupla paranaense Mirtillo Trombini / Kana Ribeiro.

 No  domingo  o cenário não foi diferente, porém a dupla soube administrar o resultado  para vencer a segunda etapa da temporada, consolidando, assim, a liderança  da  categoria.  “Por  ser  um rali bastante rápido e técnico, os pilotos tinham de acreditar na ‘cantada’ do navegador”, contou Clécio.

 Resultado

 207 Super

 1 – Rafael Túlio (PR) e César Valandro (PR) – 40:35.80

 2 – Ulysses Bertholdo (RS) e Eduardo Soneca (MG) – 40:58.40

 3 – Marcos Marcola (PR) e Sérgio Pereira (PR) – 42:02.70

 4 – Fábio Dall’Agnol (RS) e Gabriel Morales (DF) – 42:05.80

 5 – Marcos Tokarski (PR) e Laérgio Reginato (PR) – 42:14.70

 207 Master

 1 – Luís Carlos Frantz (SC) e KZ Morales (DF) – 41:31.80

 2 – Fabiano Altomar (MG) e Zeca Fonseva (MG) – 42:00.50

 3 – Pedro Zamith (Portugal) e Gilson Rocha (RS) – 42:01.70

 4 – Emerson Destro (SP) e Sérgio Avallone (SP) – 42:45.50

 5 – Júnior Siqueira (SP) e Felipe Costa (SP) – 44:16.10

 206

 1  –  Clécio  Maestrelli  e  Sandro Maestrelli (PR) e César Valandro (PR) – 43:01.20

 2 – Tony Kranzegger (SP) e Thiago Osternack (PR) – 43:13.60

 3 – Marlon Goulin (PR) e Adriano Paulin (PR) – 43:40.90

 4 – Mirtillo Trombini (PR) e Kana Ribeiro (PR) – 43:42.60

 5 – Rodrigo Mello (DF) e Pedro Eurico (DF) – 43:42.90


Deprecated: Directive 'track_errors' is deprecated in Unknown on line 0