Coluna “Andando de Carro” 29.05.2020

Conheça o Nivus, novo lançamento da Volkswagen

Antônio Fraga | Especial para ACidade ON
29/5/2020
O novo Volkswagen Nivus (Foto: Divulgação)  
O novo Volkswagen Nivus tem uma frente marcante e motor competente de 128 cavalos (Foto: Divulgação)  

Belo lançamento
Na última quinta-feira, a Volkswagen fez mais uma apresentação, segundo a marca desta vez a oficial, do seu novo modelo: o Nivus. O modelo coupê do T-Cross tem um design muito bonito e elegante e segue uma nova tendência de design da marca. O modelo será produzido na fábrica de São Bernardo do Campo e deverá ser vendido em diversos países do mundo.

O Nivus começará a ser vendido em algumas semanas no mercado nacional. Na Argentina, o modelo chega no fim do segundo semestre deste ano. Em 2021, será a vez de os demais mercados sul-americanos receberem o Nivus, no primeiro semestre. E o modelo será lançado também na Europa, no segundo semestre do ano que vem.

Vale lembrar que o modelo foi desenhado e desenvolvido aqui no Brasil.

Com linhas marcantes e elegantes, tem as novas diretrizes de design da marca. Sem dúvida, será um sucesso de vendas, mesmo numa época tão difícil.

O destaque externo, muito elegante, está na queda ligeira e fluida da coluna “C”, que remete aos modelos coupê. Na traseira é onde estão as maiores novidades do novo Nivus. Assim como o T-Cross, a enorme lanterna é elemento único, horizontal, que liga os dois extremos do modelo. As lanternas começam na tampa traseira e se prolongam até parte da lateral, garantindo uma excelente visualização do carro. Na parte superior da tampa, um spoiler integrado dá uma sensação de esportividade e “alonga” o teto.

Além das linhas, o modelo tem um toque mais esportivo, dado pelas rodas de liga leve de 17 polegadas com desenho exclusivo e os protetores de para-lamas pronunciados.

Na frente, destaque para os faróis, que estão em harmonia com a grande grade e os vincos do capô. Os faróis, o DRL (luz diurna exigida hoje nas estradas) e os faróis de neblina, todos de LED, garantem um belo conjunto. Um detalhe interessante é que o Nivus é o primeiro modelo na América do Sul a adotar o novo logo da marca.

O Nivus tem dimensões interessantes, 4.266 mm de comprimento, 1.757 mm de largura, 1.493 mm de altura e 2.566 mm de distância entre-eixos, e graças a elas, garante um bom espaço interno para quatro pessoas. O porta-malas, que pode ser aberto por botão virtual no console central, tem capacidade para 415 litros.

Inicialmente, o Nivus terá apenas uma opção de motorização. É o competente motor 200 TSI, com três cilindros, flexfuel e com injeção direta de combustível e que produz 128 cavalos de potência máxima e 20,4 m.kgf (200 Nm) de torque, quando abastecido com etanol. A transmissão é automática de seis marchas. Esse motor já equipa os modelos Polo, Virtus e T-Cross, com excelente aceitação dos consumidores.

Um passo à frente

Além do design, um dos destaques, e algo muito solicitado pelos consumidores hoje, é a conectividade. O VW Play é um marco tecnológico na indústria e traz uma série de benefícios para os clientes. O VW Play é uma das principais inovações do Nivus. A central multimídia, totalmente desenvolvida no Brasil, oferece uma inédita experiência de usabilidade intuitiva no mercado brasileiro.

Com tela de 10 polegadas de altíssima resolução, sensível ao toque, antirriscos e com botões virtuais, essa plataforma oferece não somente os mais modernos recursos de conectividade, mas também garante uma série de serviços e streaming.

Aliado ao painel digital (Active Info Display), cria duas grandes ilhas digitais no painel do Nivus. São duas telas de 10 polegadas (tamanho de um tablet) interligadas, oferecendo conectividade e entretenimento sem precedentes num veículo dessa categoria. Trata-se de um “cockpit digital” dotado de uma interface intuitiva, lógica, inteligente e moderna, que pode ser comandada pelos botões no novo volante, o mesmo utilizado pelo novo Golf.

Junto com o Nivus, estreia também a VW Play APPs, uma loja virtual exclusiva para o cliente Volkswagen, para download de aplicativos direto pelo VW Play, com a mesma facilidade com que se baixa um aplicativo em um smartphone. São 10 GB de memória (espaço suficiente para abrigar 25 vezes o tamanho do Waze, por exemplo) para download de uma série de Apps, uma parceria exclusiva com a Volkswagen. Estapar (estacionamento), 12 min (audiobook), Ubook (audiobook), Porto Seguro (seguros), Deezer (música), Waze (navegação) e IFood (entrega de comida) são apenas alguns parceiros, de uma oferta que continuará crescendo para entregar cada vez mais comodidade aos clientes do Nivus.

O VW Play oferece ainda Manual Cognitivo integrado ao veículo (Nivus é o primeiro carro do mundo com esse recurso), capacidade para ler praticamente todos os formatos de mídia, excelente qualidade de áudio e incrível capacidade de conectividade com smartphones Android e Apple -neste caso, é o primeiro carro do Brasil com espelhamento sem fio.

Muito bem equipado, o Nivus conta com detector de fadiga, ISOFIX e top-tether para fixação de cadeirinha infantil no banco traseiro, kessy (abertura das portas e partida do motor sem contato com a chave), ESC (Controle Eletrônico de Estabilidade), auxílio de partida em rampas (HHC) e câmera de marcha-a-ré.

A segurança também é marcante no novo Nivus. O modelo possui o ACC (Adaptive Cruise Control). Ele permite ao motorista ajustar a velocidade e a distância que deseja trafegar em relação ao veículo à frente, e o sistema é capaz de acelerar e frear automaticamente. O AEB (Autonomous Emergency Brake), recurso que, ao identificar o iminente risco de uma colisão frontal, freia o carro de maneira autônoma, evitando, em alguns casos, completamente uma colisão.

A traseira elegante é realmente o ponto forte do novo modelo da Volkswagen do Brasil (Foto: Divulgação)  
Igual a outros modelos da marca, o interior é moderno e conta com muita tecnologia embarcada (Foto: Divulgação)  

Muita modernidade 

Diante da pandemia, a Volkswagen desenvolveu uma maneira muito criativa e interessante de o consumidor conhecer em detalhes o Nivus. De dentro de casa, usando um app com tecnologia de realidade aumentada. Com um smartphone ou tablet, o cliente poderá “viajar” entre o mundo real e o virtual. Poderá ver todos os detalhes, girar o carro, abrir as portas, os vidros ou até mesmo o porta-malas. Vale a pena conferir.

Estreia virtual 

O Volkswagen Nivus marca também como a primeira grande novidade apresentada à imprensa virtualmente, pela internet. Nesta época de pandemia, não tinha como ser diferente. Mas não é a mesma coisa de um lançamento ao vivo, com a possibilidade de ver de perto.

A Ford, corajosamente, apresentou recentemente a Ranger Storm, mas é uma versão, não um modelo novo. Mas uma pena é que as perguntas que fizemos na oportunidade do lançamento foram desconsideradas e não respondidas pela comunicação da marca.

Ainda bem
A Renault foi salva pelo governo francês. A empresa, da qual o governo francês é dono de 15% das ações, conseguiu um empréstimo milionário para conseguir manter as suas atividades pós-pandemia. Vale lembrar que não é só ela que está em situação difícil.

Os 5 bilhões de euros que a Renault conseguiu de empréstimo tiveram o aval do governo. No último dia 28.05, a marca apresentou um plano de recuperação, que, entre outras medidas, terá que economizar 2 bilhões de euros nos próximos dois meses.

Outra medida que poderá ser tomada pela diretoria é fechar a Alpine, que produz o esportivo A110, e a Renault Sport. Uma pena. Modelos como Espace, Scenic e Talisman deverão ser descontinuados.

VW chinesa
A Volkswagen já está desenvolvendo pelo menos um modelo elétrico junto com a chinesa JAC. E com o objetivo de assumir a liderança de vendas de carros elétricos do maior mercado automotivo do mundo, está adquirindo uma parte da marca chinesa. A marca alemã irá adquirir as ações da Anhui Jianghuai Automobile Group Holding, controladora da JAC Motors. A compra das ações da JAC Motors será na casa de meio bilhão de dólares.

E a ousadia não para aí: a VW vai tentar adquirir uma boa parte da Guoxuan High-tech Co Ltda, que produz baterias para automóveis elétricos. Disso tudo deverá surgir uma nova marca de automóveis na China: a SOL.

A sétima geração do BMW Série 5 tem design refinado, bem ao gosto do seu consumidor (Foto: Divulgação)  

Um belo conjunto
A marca bávara BMW tem agendada para o final de julho deste ano a apresentação da nova geração da Série 5. O sedã e a perua chegam a sua sétima geração com muitas novidades no design, no interior e, principalmente, na tecnologia embarcada.

No design, a mudança mais sensível será na grade, bem maior, assim como os faróis. Na traseira, as lanternas também ganham nova “cara” e ficam maiores. As rodas deverão ter duas opções: 18 e 20 polegadas.

No interior, uma enorme tela atrás do volante tem todos os instrumentos e informações. O modelo possui no meio outra tela de 12,3″. A tecnologia embarcada é um show à parte.

O modelo terá duas motorizações híbridas com carregamento Plug-In. O 530e com 292 cavalos e o e 545e com 394 cavalos. Em ambas as versões, usaram uma caixa de oito velocidades automática. Triste, acaba a versão 550i.

O BMW iX3 é o primeiro modelo da marca totalmente elétrico e desenvolvido na China (Foto: Divulgação)

Mais BMW: a marca da Bavária pretende, mesmo com essa pandemia, lançar logo após o Série 5, o iX3. O modelo será o primeiro SUV da marca alemã a ser totalmente produzido na China. O modelo terá uma nova plataforma. Para a produção do modelo, a BMW fez, em 2003, uma parceria com a marca chinesa Briliance Auto, estabelecida na cidade de Shenyang.

O novo modelo inaugura uma nova fórmula de produção de baterias, com 80% de níquel, 10% de cobalto e 10% de manganésio. Segundo informações, essa “mistura” garantirá uma autonomia de até 440 quilômetros. O iX3 também vai marcar a chegada da 5ª geração do sistema eDrive.

Grande incentivo
A Mercedes-Benz cria mais uma alternativa para incentivar as vendas de seus produtos nessa época de pandemia. A marca ampliou as parcelas de seus consórcios para até 120 meses. De acordo com Roberto Leoncini, vice-presidente de Vendas e Marketing Caminhões e Ônibus, esse plano é uma excelente alternativa para os clientes que prezam pelo planejamento no momento de renovar ou ampliar a sua frota. O novo plano já está disponível nos concessionários e no site www.showroommercedes-benz.com.br.Do mesmo jeito
E os preços dos combustíveis na Região Sudeste continuam em queda nos primeiros dias de maio, de acordo com o Índice de Preços Ticket Log (IPTL). Entre os destaques, está o valor médio do gás natural veicular (GNV), que segue como o mais barato do Brasil, com preço médio de comercialização de R$ 3,165, uma queda de 2,41% em relação ao fechamento de abril.
Já a gasolina teve recuo de 5,63%, enquanto o etanol e o diesel tiveram baixas de 6,15% e 7,18%, respectivamente.

Ao identificar os preços por Estado, o IPTL mostra que não houve muita alteração no ranking em relação a abril. O Estado de São Paulo continua liderando com os menores valores para todos os tipos de combustíveis pesquisados. A gasolina é comercializada a R$ 3,746, o etanol, apontado como o mais barato do Brasil, é vendido à média de R$ 2,384, o diesel comum e o S-10 são vendidos a R$ 2,974 e R$ 3,068, respectivamente; e o GNV é encontrado no Estado à média de R$ 3,029.

A Unidas desenvolveu uma placa transparente que separa o motorista dos passageiros do banco traseiro (Foto: Divulgação)  

Placa protetora
A locadora de veículos Unidas desenvolveu uma proteção muito interessante para os locadores de seus veículos que são utilizados pelos aplicativos. O Cabify é uma proteção a mais durante o período de novo coronavírus. Trata-se de uma placa em acrílico, devidamente esterilizada, que separa os bancos dianteiros e traseiros. A peça pode ser alugada por R$ 9,90 por semana. A placa evita o contato entre profissional e passageiro nas corridas e bloqueia a passagem de partículas de saliva entre as metades anterior e posterior do veículo.

As formosas bicicletas tinham que remeter às icônicas motocicletas da Harley Davidson (Foto: Divulgação)  

Pedaladas históricas
Duas rodas para a liberdade. Há 117 anos, essa é a fórmula da Harley-Davidson. Mas essas duas rodas, no entanto, não vieram sempre com um motor. Por seis anos, começando em 1917, ciclistas puderam experimentar se moverem em duas rodas nas bicicletas produzidas pela Harley-Davidson. Com a intenção de apresentar a marca a possíveis novos ciclistas, essas bicicletas foram projetadas para se parecerem com as motocicletas da empresa.

Hoje, uma bicicleta Harley-Davidson original, fácil de identificar pelas letras “H-D” cravadas na roda dentada dianteira, é um item de colecionador raro e valioso.

Enquanto a empresa se preparava para as comemorações do 115º aniversário da Harley-Davidson, em Milwaukee, no fim de semana do Dia do Trabalho, a equipe do Museu da H-D começou a considerar um projeto especial para chamar a atenção para uma interessante história da empresa.

Constam da coleção do The Motor Company Archives meia dúzia de exemplares de bicicletas H-D® autênticas e, baseando-se nesses modelos, um plano foi elaborado para recriar um exemplar que, embora não fosse uma réplica exata do 1917 Model 7-17 Special, representaria sua personalidade original, com algumas concessões à praticidade, segurança e custo.
Apenas dez exemplares foram produzidos e vendidos pelo museu nesta ação de homenagem. A Heritage Bicycles of Chicago, fabricante de bicicletas-relíquia customizadas, foi contratada para criá-los. “A Harley nos pediu para replicar o mais próximo possível do original”, disse o proprietário da Heritage, Mike Salvatore.

As bicicletas H-D originais foram montadas em um prédio do outro lado da linha férrea, em frente à fábrica da Juneau Avenue, em Milwaukee, com componentes provenientes da Davis Sewing Machine Company, de Dayton, Ohio. A Davis está no ramo de bicicletas desde 1892 e também fabricou motocicletas Dayton, que evoluiria para a Huffman e, depois, para Huffy, uma marca ainda hoje familiar.

Para criar uma associação próxima com suas motocicletas, a Harley-Davidson deu a cada um dos novos modelos de bicicletas um revestimento de base da mesma tinta verde-oliva que foi apresentada nas motocicletas em 1917.
A bicicleta modelo 7-17 Special (preço original de tabela de US$ 35) também tinha um tubo da estrutura superior torcido, o que lhe daria um perfil semelhante ao das motocicletas. A roda dentada da manivela de aço incorporou as letras H-D em sua aranha e ganhou acabamento em cromo brilhante. Na época, as bicicletas Harley eram top de linha.

A Heritage Bicycles iniciou o processo de recriação da 7-17 Special no H-D Archives, fazendo medições precisas do quadro original, que tem aquela peculiar curvatura no tubo superior, correntes e apoio do assento curvados de forma incomum, além de uma geometria que Joel Van Twisk, diretor de operações na Heritage, chama de “bastante estranha”.

“As bicicletas originais foram projetadas para pessoas de estatura menor, de modo que o quadro é compacto e baixo”, explicou Van Twisk. “Queríamos que adultos maiores pudessem usá-la confortavelmente. Então, alteramos a geometria. Eu diria que é um quadro de 52 cm, em termos modernos.”

A Heritage tinha componentes de quadro formados com tubos de aço cromolítico premium e construiu um gabarito para montar as peças do quadro para soldagem. Depois que os quadros foram finalizados, a Heritage começou a procurar componentes que pudesse usar para montar uma bicicleta que se parecesse muito com a original.

Por causa do curto ciclo de produção, recriar os para-lamas de aço, por exemplo, seria proibitivo em termos de custos. A Heritage encontrou para-lamas de alumínio com um perfil muito semelhante.

Em vez dos aros de madeira originais de 28 polegadas, as novas bicicletas rodam em aros modernos 700C (700 mm), com pneus de borracha castanhos que combinam com a cor dos pneus Firestone terracota originais. A haste e a coluna do assento são componentes modernos. Um banco Brooks B135, hoje vendido apenas na Inglaterra, tem molas espirais dianteiras e traseiras, semelhante ao assento Troxel original. A Heritage também recriou o suporte traseiro.

Um detalhe que deveria ser perfeito são as letras distintivas na roda dentada dianteira. “Não poderíamos desmontar a bicicleta original do museu para usar essa roda dentada como um padrão”, explicou Van Twisk. “Então, criamos uma foto no Google Docs que o fabricante usou para cortar a laser a réplica, com controle numérico computadorizado, em aço inoxidável polido, garantindo mais durabilidade do que o original cromado. O original também tinha um afastamento dos dentes e um tamanho de corrente obsoletos, de modo que foram alterados para se ajustarem às correntes modernas.”

Van Twisk também afirma que o maior desafio enfrentado pela Heritage foi recriar a coroa do garfo triplo. “Não há nada parecido que possamos comprar hoje. Então, tivemos que fabricar as chapas da coroa do zero, usando aço inoxidável polido”, afirmou.

O distintivo da Harley-Davidson era um detalhe final que a Heritage tinha que resolver. “Encontramos um no eBay para usar como um padrão e tínhamos réplicas exatas em latão, que receberam um acabamento antigo”, disse Van Twisk. Antes da montagem final, os quadros das bicicletas foram desenhados à mão por Jeff Williams, na King of Paint, em St. Francis, Wisconsin, em um padrão e cores idênticos às das originais.

As bicicletas Harley originais foram um sucesso inicial de vendas, com a empresa relatando que 5.079 unidades haviam sido comercializadas nas primeiras semanas em que ficaram disponíveis, em 1917. Mas, mesmo no pico de 1920, as vendas de bicicletas representaram apenas 4% do total de negócios da Harley-Davidson nos EUA.

Durante a recessão do pós-guerra de 1920-21, a empresa deixou de produzir bicicletas e um capítulo interessante na história da Motor Company foi encerrado. “Para nós, esse episódio não gira somente em torno de fabricar bicicletas, mas é também sobre poder participar das comemorações de um período da história da Harley-Davidson e do ciclismo”, declarou Salvatore. “Eu realmente espero que essas bicicletas-tributo não sejam penduradas em uma parede. Construímos bicicletas que os proprietários podem andar e aproveitar.”

Com 3.696 tijolinhos depois de montado, o Lamborghini Sián fica com 60 centímetros (Foto: Divulgação)  

Brinquedo legal
A Automobili Lamborghini e a Lego anunciaram uma parceria e criaram nos famosos tijolinhos uma miniatura do Lamborghini Sián FKP 37. São quase 3.700 peças que reproduzem com fidelidade o superesportivo na escala 1:8, tem 60 centímetros de comprimento. Apresentado no Salão do Automóvel de Frankfurt em 2019, o modelo conta com um motor V12 e portas com abertura vertical.

Na cor verde tradicional da marca italiana, o “brinquedo” começa a ser comercializado em agosto. Para o presidente e CEO da Lamborghini, Stefano Domenicali, as marcas Lego e Lamborghini são dois ícones. Ambas aspiram à perfeição.

O Lamborghini Sián/Lego é um brinquedo para quem é apaixonado pelos esportivos da marca italiana (Foto: Divulgação)  

Brinquedo de luxo
E por falar em “brinquedos”, a marca de automóveis mais elitizada do mundo, a Rolls Royce, fez uma miniatura do seu primeiro SUV, o Culliman. Na escala de 1:8 é a opção para quem gosta do carro tamanho real e não tem cinco milhões reais para comprar. Veja que vídeo muito legal feito pelo jornalista Paulo Cruz: https://www.youtube.com/watch?v=WH2_0jFrsF4.


Deprecated: Directive 'track_errors' is deprecated in Unknown on line 0