Pick-up Fiat Strada…na estrada!

Pra quê ter uma pick-up Fiat Strada cabine dupla? Essa pergunta eu fiz para mim mesmo no lançamento do modelo à alguns meses atrás em Foz do Iguaçu. A pick-up Strada é consagrada pelo mercado como um produto bem nascido e um sucesso de vendas. A Adventure, então, é um desejo de consumo de muita gente, tanto pelo seu design agressivo e bonito, como pelo conjunto dinâmico, já que é impressionante o equilibro que a marca italiana conseguiu para esses modelos mais afoitos a aventuras. O banco traseiro já era colocado por muitas empresas particulares na cabine estendida, uma verdadeira gambiara.

Então a Fiat Automóveis teve a sacada de fazer o mesmo, só que com um maior espaço atrás e acabamento digno de um carro de produção em série. Entrar no banco traseiro, requer uma certa ginástica, como, aliás, todo o carro de duas portas, e o espaço para pernas, não é muito grande.

Então peguei a pick-up para um teste drive de maior duração e utilizando-a como meu meio de transporte no dia-a-dia. Na frente uma beleza. Painel completo, bonito, todos os controles ao alcance das mãos, computador de bordo que muitos carros de luxo não possuem, acendimento automático dos faróis, limpadores também automáticos, bancos confortáveis, fáceis ajustes para a posição ideal, ou seja, tudo uma beleza.

Acelerando, o carro anda muito bem, responde prontamente, a estabilidade surpreende, ainda mais se levando em conta que é um carro mais alto, com um centro de gravidade maior, mas mesmo assim, o comportamento é muito bom. Tudo conta a favor, como por sinal, na Adventure cabine estendida. Mas, e o banco traseiro? Por enquanto só serviu para colocar coisinhas em cima dele, como mochila, malas, comprinhas de supermercado, etc. Opa, por sinal, é muito útil. Só quem tem uma pick-up, sabe o drama que é quando quer viajar e não tem onde por as malas, pois se chove, as roupas ficam ensopadas; as compras de supermercado chegam pela metade, todas espalhadas ou quebradas na caçamba; fora o perigo de furtos, pois não pode parar, nem num semáforo.

Um ponto para o espaço atrás dos bancos dianteiros. Mas e com pessoas? A primeira oportunidade foi com meu filho, já que de ultima hora, tinha que pegar ele na escola ao final de uma tarde. Se tivesse de pick-up comum, não podia, pois somente um pai desnaturado leva uma criança de sete anos na frente, correndo o risco de matá-lo em qualquer batidinha. Cadeirinha e lá fui eu e o Thomaz, meu filho de sete anos, para casa. Peraí, comecei a descobrir a utilidade o banco traseiro e da Strada Adventure cabine dupla. Eu que já gostava muito da Strada Adventure, mas estava meio de pé a trás com a cabine dupla, por não entender pra que servia, começava a me culpar pela avaliação inicial. Pra quê? Perde espaço na caçamba, não tem muito espaço para as pernas, pra quê uma cabine dupla? Já tinha a estendida, pra quêêêêê?

E assim foram se passando os dias e a cada momento, mais alguns argumentos iam me fazendo gostar e aplaudir a iniciativa da Fiat. Almoço com dois colegas de trabalho e lá fomos nós, numa boa. E fomos outras vezes, um pouco de ginástica pra entrar, um pouco de falta de espaço atrás, mas tudo continuava numa boa. E sempre o comentário: melhor que numa pick-up cabine simples ou estendida, pois ou não dava pra ir, ou iamos uns em cima dos outros, correndo o risco de ser multado, pois teriam que duas pessoas que utilizar um cinto de segurança.

Desculpem, a cabine dupla faz todo o sentido. Se você tem uma família grande, a Strada cabine dupla não é o ideal, mais vale uma Fiat Palio Weekend Adventure. Mas se é uma família com crianças pequenas, um casal, ou até uma pessoa solteira, que quer usar ou precisa de uma caçamba, ou simplesmente porque gosta do conceito pick-up, a cabine dupla tem tudo a ver. Saiu e encontrou um amigo e quer lhe dar uma carona, pode; precisa ir pegar um filho na escola, pode; quer levar as compras e as malas com “conforto” e segurança, pode; então está mais que justificado o arrojado lançamento da Fiat Automóveis.

Apenas dois pedidos e uma critica. A critica é que o consumo é alto; e os pedidos são simples, o encosto do banco traseiro poderia ser uns poucos centímetros mais inclinado para trás, o que ia melhorar muito o conforto e espaço traseiro e os vidros laterais traseiros, poderiam ser basculantes. Como tinha no VW Fusca e no Fiat 147. De resto, tem que aplaudir pela iniciativa, agilidade e sacada.


Deprecated: Directive 'track_errors' is deprecated in Unknown on line 0