Simplesmente sublime…

grand_siena_sublime_006

 

Alguns até podem achar exagerada a denominação “Sublime” que a Fiat escolheu para a série especial criada para o sedã Grand Siena. Mas o adjetivo não é totalmente desmerecido. O modelo desta versão lançada em maio passado traz algumas diferenças que o tornam ligeiramente mais sofisticado que as versões de série.  Baseado na versão mais cara do sedã – a Essence 1.6 –, o Sublime não traz nenhuma alteração mecânica exclusiva. Por outro lado, oferece uma ampla lista de itens de série que o posicionam no topo da gama.  Sendo assim, ele é realmente sublime quando comprado com os seus “irmãos de sangue.”

A Série Especial Sublime, apresentada no Salão Internacional do Automóvel no ano passado, chegou ao mercado somente em duas cores: Preto Vulcano e Branco Kalahari, esta última exclusiva para a série. Externamente, a Série Sublime também conta com frisos cromados fumê, faróis com máscara cinza metalizado, grade dianteira e retrovisores externos pintados em cinza metalizado, rodas em liga leve com pintura exclusiva, além de minissaias laterais — em cinza quando a cor do carro for Branco Kalahari e em preto no carro Preto Vulcano.

As cores marrom e marfim predominam no interior do carro – como no couro que reveste parcialmente os bancos, o volante e os revestimentos das portas. O painel é igual às demais versões do sedã, mas recebe certa dose de exclusividade com pintura bege harmonizada com as tonalidades dos couros de outras partes. Além dos conteúdos estéticos, o Grand SienaSublime conta com todos os itens de série da versão Essence mais rádio Connect CD MP3/WMA integrado ao painel com RDS, viva-voz Bluetooth e entrada USB, volante em couro com detalhes nas cores marrom e marfim e com comandos de rádio, mais retrovisores externos elétricos e vidros elétricos traseiros.

 

7(254)

Testamos a versão do Sublime dota do câmbio Dualogic, opção para quem não quer o carro com transmissão manual. O Dualogic de cinco velocidades também permite  trocas manuais por paddle-shifts atrás do volante. Com essa transmissão, o sedã faz de zero a 100 km/h em 9,9 segundos, e atinge velocidade máxima de 194 km/h. O motor é o mesmo do Essence: o  E.Torq de 117 cv, entregues a 5.500 rpm, e 16,8 kgfm a 4.500 rotações.

Texto twitter

O requinte interno só faz aumentar a satisfação que se tem ao dirigir o Grand Siena. O motor transmite boa potência para o carro, dono de uma estabilidade não menos elogiável. O que talvez pudesse ser melhorado é o ponto em que o sedã atinge seu torque máximo. Para se atingir o torque máximo de 16,8 kgfm é preciso que o motor gire nos 5.500 rpm. Com isso, é necessário pisar fundo para saídas mais rápidas. Um pouco mais caro (R$. 46.360), o Sublime cumpre bem a missão de ser mais um membro da família do Siena, com a vantagem de contar com uma “vestimenta” mais requintada.

 


Deprecated: Directive 'track_errors' is deprecated in Unknown on line 0