Peugeot lança a picape compacta Hoggar

A Peugeot lançou oficialmente a sua primeira picape nacional: a Hoggar. A denominação Hoggar (nome de uma cadeia de montanhas no deserto do Saara, na África) foi herdada de um concept car da marca e evoca um universo que alia força, resistência e ação. Com o objetivo de enfrentar a VW Saveiro, Chevrolet Montana e a líder Fiat Strada,  a compacta francesa vem completar a gama de produtos da família 207, formada pelo hatchback, a perua SW, a perua Escapade e o sedã.
Desenvolvida no Brasil, a Hoggar demorou três anos para chegar ao modelo final e utiliza a mesma plataforma do 207 e da Pathner. Além do design, a novidade é a caçamba, que segundo a fabricante, tem capacidade de carga útil de 742 kg ou 1.151 litros. Assim é a maior do mercado nacional.
O design não deixa duvidas que a picape deriva do modelo 207. Na frente, uma grande tomada de ar frontal, entrecortada por uma barra de impacto, e um conjunto ótico expressivo que se alonga pela lateral. Um friso acompanha as linhas laterais até a junção com o step side, como tem na Chevrolet Montana, que, além de facilitar o acesso à caçamba, tem a função de extrair o ar da cabine. Toda a extensão da caçamba é delineada por uma moldura, que determina as linhas simétricas da traseira. Ela é ressaltada por dois elementos: um friso na altura da maçaneta da tampa, que acompanha o contorno da lanterna na parte superior, e um vinco na área inferior.
A longa lanterna, possui um formato em bico e possui três elipses distinguem as diferentes funções do veículo, como freio, pisca-alerta, luzes indicativas de direção e ré, abrigadas por uma lente vermelha de forma triangular, que invade a lateral do utilitário.
O pára-choque traseiro, é formado por uma peça só, ao mesmo tempo em que serve de proteção à lanterna, apresenta dois ressaltos para melhor apoiar os pés ao subir à caçamba. Cada um deles suporta até 140 quilos de peso.
O interior é igual ao do modelo já existente no mercado, apenas a padronagem dos tecidos é diferente.
A cabine tem vidros laterais, que melhoram a visão periférica dos ocupantes e contribuem para a harmonia estética do modelo. O vidro traseiro traz janela corrediça. Pequenas bagagens podem ser acomodadas atrás dos bancos, numa área de 120 litros.
Para adaptar o projeto 207 à picape Hoggar, a Peugeot recalibrou a suspensão dianteira e na traseira, rodas independentes, barras estabilizadora e de torção transversal. Os amortecedores hidráulicos receberam uma nova calibração e os braços da suspensão, que ganharam uma nova geometria, foram prolongados em 10 mm para se adaptarem às rodas da picape. Outra modificação específica diz respeito ao desenvolvimento local de novos batentes e do suporte do braço da suspensão, para se adaptar ao novo compensador de freios.
Para adaptar o utilitário compacto a qualquer condição de uso, a engenharia da marca desenvolveu para a direção hidráulica uma serpentina exclusiva para o arrefecimento do óleo da direção. O objetivo é o de manter a prestação dinâmica do sistema mesmo em utilização severa da picape.


Voltada para o trabalho, a picape na configuração X-Line, mesmo sendo a porta de entrada do modelo, vem equipada com o motor 1,4 litro flex 8V (1.360 cm3) de até 82 cavalos de potência quando abastecido com álcool, e 80 cavalos de potência quando abastecido a gasolina a 5.250 rpm. O torque máximo é de 12,85 mkgf a 3.250 rpm, obtido com qualquer um dos combustíveis. A caixa de câmbio manual é de cinco marchas é o mesmo dos demais modelos 207, mas foram encurtadas relações da primeira e da segunda, com o objetivo de ganhar agilidade. A versão X-Line vem com para-choque dianteiro pintado na cor do modelo, manopla do câmbio com detalhe tipo alumínio e rodas de aço de 14 polegadas. Em relação à segurança, o modelo possui chave de ignição codificada (transponder), indicador inteligente de manutenção do veículo, lanterna de neblina integrada à lanterna traseira, limpador do pára-brisa com temporizador e indexado à velocidade do veículo e protetor de cárter, entre outros.
O modelo oferece regulagem de altura do banco do motorista e da coluna de direção, pára-sol com espelho de cortesia para motorista e acompanhante, aviso sonoro de esquecimento da chave no contato, de luzes acesas e do tanque de combustível na reserva. Há ainda o sistema follow me home (no qual as lanternas e os faróis baixos permanecem acesos por 30 segundos após o fechamento do carro), preparação da fiação para som e ventilação forçada com quatro velocidades.
Na versão XR, intermediária, também conta com o motor 1,4 litro flex, oferece uma dose maior de esportividade. A começar pelos faróis dianteiros com máscara negra, duas barras longitudinais que ajudam na amarração de carga e duas barras transversais com capacidade de carga para até 70 kg no teto. Nesta versão, a Hoggar conta com pneus de uso misto calçados em rodas de 14 polegadas.
Já a versão top, a Escapade, vem equipada com o motor 1,6 litro flex (1.587 cm3), que produz até 113 cavalos de potência com álcool e 110 cavalos com gasolina a 5.600 rpm, com um torque máximo de 15,5 mkgf a 4.000 rpm com álcool. O design também é mais ousado. O pára-choque apresenta uma grade frontal cinza metálica que empresta ainda mais robustez ao modelo. Nessa linha, marcam seu visual diferenciado proteções nas caixas de rodas dianteira e traseira, que acompanham os vincos laterais, e as rodas em liga leve de 15.
Internamente, uma padronagem de acabamento exclusiva, acabamentos imitando alumínio, ar-condicionado, vidros elétricos com comando seqüencial para o motorista, bancos dianteiros esportivos e retrovisor externo com regulagem interna elétrica.


Atrás do banco um bolsa para colocação de objetos, indicador de temperatura externa, relógio e calendário digital no painel. A versão vem também com dois alto-falantes nas portas dianteiras, travamento automático das portas em velocidade e travas elétricas nas portas com telecomando.


Deprecated: Directive 'track_errors' is deprecated in Unknown on line 0