A nova picape da VW humilha a concorrência

Sem duvida, a nova Volkswagen Amarok é um  divisor entre as picapes. Ela muda completamente o conceito de veiculo utilitário no mundo inteiro e pode até ter concorrentes teoricamente no segmento, mas de fato, não tem. Ela é muito, mas muito mesmo, superior às demais picapes existentes no mercado mundial. Tanto em tecnologia, como em conforto e comportamento dinâmico. E em termos de tecnologia é uma maldade que comete com as colegas picapes. Uma humilhação.
Logo ao entrar é fácil perceber que foi utilizado um outro conceito. Tudo está muito próximo de um automóvel, tanto no conforto como na ergonomia. Tudo está ao alcance das mãos. O banco muito confortável, tem várias regulagens, assim como o volante, que regula em profundidade e na altura. Então, achar a posição mais agradável para dirigir é moleza. Após os ajustes, cinto colocado, motor ligado, mas logo vem a pergunta: o motor está ligado? Está, sim. Os novos motores a diesel da Volkswagen, a exemplo do Touareg e outros carros de passeio, tem uma tecnologia de ponta digna dos mais evoluídos motores a gasolina. O barulho é quase nulo, mesmo em regimes mais elevados. A Amarok está equipada com um motor TDI de 2,0litros, 4 cilindros e 16 válvulas, que produz 163 cavalos de potência máxima, dotado de sistema de injeção direta common-rail e alimentado por dois turbocompressores. O torque máximo é de 40,7 kgfm a apenas 1.500 rpm e o mais fantástico é o consumo de combustível: uma média de estrada/cidade de 13,1 km/l utilizando a tração apenas em duas rodas. Com o tanque cheio é possível fazer quase mil quilômetros. Este otimo motor da Volkswagen traz o conceito de “downsizing” com motores de baixa cilindrada mas com alta potência e torque. A unidade turbodiesel com injeção direta cumpre as normas mais severas de emissões e são conjugadas, de série, a uma transmissão manual ZF de seis velocidades. E aqui outra mudança radical. A Amarok tem o câmbio igual a de um automóvel. A parte aparente da alavanca de câmbio é pequena,os engates muitos justos e as trocas rápidas. E aquele desconforto de vibrações, principalmente quando se acelera, na Amarok não existe. Pode fazer o que quiser que a alavanca está firme e forte.


No circuitos off-road a pick-up mostra toda a sua capacidade, robustez e tecnologia. Com toda a certeza, tudo o que se conhece em termos de veículos utilitários não chega à ponta dos pneus da picape média da Volkswagen. É outra realidade. A tecnologia, com a ajuda de apenas alguns botoizinhos faz com que a picape suba morro quase intransponíveis sem que seja necessário ajuda do motorista.

Ao apertar um botão, a Amarok define a aceleração necessária e sobe sem a menor dificuldade, sem que o motorista precise de colocar os pés em pedal nenhum. A mesma coisa ao descer, pois o sistema decide a velocidade para descer, sem que o motorista pise nos freios. Ela só não faz uma coisa sozinha: virar o volante, de resto o motorista é dispensável. Acelerando a picape mostra bom fôlego e não faz feio em nenhuma situação. A estabilidade também é muito boa e os freios espetaculares. Com a ajuda do ABS, a Amarok tem um sistema fantástico de frenagem: na terra ela vai, com a ajuda da eletrônica, freando e soltando para juntar montinhos de terra na frente da rodas e assim criar uma barreia a mais e diminuir os espaços de frenagem. Sem qualquer desvio ou trapalhada do motorista.
Outro detalhe agradável é o espaço interno, que é muito bom e os “puxadores” que ajudam os passageiros a se segurar lá dentro da cabine e a subir e descer.. Mas o banco traseiro, é campeão. É a única picape do mundo, que quatro pessoas vão bem acomodadas. Geralmente, o encosto do banco traseiro é muito reto e o assento baixo em relação ao assoalho. Na VW Amarok tudo é diferente o que proporciona muito conforto. Até que apareça alguma nova picape para fazer frente, a nova picape media da Volkswagen é a melhor do mundo.


Deprecated: Directive 'track_errors' is deprecated in Unknown on line 0