Honda CRV vs. Chevrolet Captiva FWD

Preço em torno de 90 mil reais. Apesar de não ser a maneira correta, é, na grande maioria, a forma utilizada pelos consumidores para compararem dois veículos. Por isso, o Sport Motor World decidiu colocar lado a lado a nova Chevrolet Captiva FWD (R$92.990,) e o Honda CR-V LX (R$94.500,). Os dois utilitários esportivos da melhor qualidade, mas com diferenças técnicas enormes que dão um ganho à Chevrolet Captiva. E já que o nosso ponto de partida foi o preço, só aqui a diferença já é grande, pois além de custar menos, a Captiva oferece muito mais.

Equipada com um dos melhores conjuntos de motor e câmbio do mundo na atualidade, a Captiva conta com a mesma motorização do Chevrolet Omega, importado da Austrália. É um V6 de 3,6 litros a gasolina que entrega 261 cavalos de potência máxima a 6500 rpm. Já o Honda CR-V tem motor de dois litros, 16 válvulas que desenvolve 150 cavalos de potência máxima. Na velocidade máxima até que não influencia muito, já que por motivos sobrenaturais e de difícil entendimento humano, a Captiva é limitada em 160 km/h. Pela estrutura, capacidade do motor e construção, a nova utilitária esportiva da GM poderia ir muito, além disso.

Na aceleração, que é o mais importante, pois pode tirar o motorista de uma fria numa ultrapassagem, por exemplo, a Captiva fez 8,4 segundos contra 12,6 segundos do CR-V. O consumo obviamente é uma das maiores armas do CR-V, graças ao seu motor menor. Na cidade a média foi de 9,5 km)litro para o CR-V e de 8 km litros para a Captiva. Já na estrada, há um equilíbrio, com vantagem ainda para o CR-V, que bebeu 12,9 km litro contra 12,8 km litro na Captiva, isso mantendo os 100 km.h. Nos dois, os câmbios são automáticos, sendo de cinco marchas no Honda CR-V e de seis na Captiva. Mas vamos tentar concordar: o câmbio que está na Captiva, que é praticamente o mesmo do Omega, é excepcional.

No interior os dois se equilibram, tanto no luxo quanto no acabamento realmente muito bem cuidado. Em ambos, fica clara a preocupação da marca com os materiais utilizados e com o bem estar dos ocupantes. Espaço interno têm de sobra. Até cinco passageiros, nos dois modelos, viajam muito bem acomodados. Uma coisa é verdade, o CR-V “negocia” um espaço interno maior. O design do painel do CR-V é mais interessante, por diversas soluções interessantes, porém o da Captiva é mais elitizado. O painel de instrumentos do Honda CR-V tem mostradores enormes, o que facilitam a leitura, mas o da Captiva é mais completo. Ambos, atendem com alegria os seus consumidores. Nos dois modelos, os bancos são razoavelmente confortáveis, mas poderiam segurar mais os passageiros em curvas.

No desgin externo cada qual tem a sua graça. A da Captiva linhas mais esportivas, modernas e belas. No CR-V, linhas harmoniosas, mas mais conservadoras e discretas. Ambos têm quase as mesmas dimensões externas. Em termos de porta-malas o Honda CR-V dá um show no carro da Chevrolet: 821 litros da GM contra 1.081 do Honda, isso com o banco na posição normal. Rebatidos os assentos, a surra é maior, já que o Honda permite 2.064 litros contra 1.586 da GM. Para um carro familiar faz diferença.

Andando, os dois são muito silenciosos e têm rodar macio. Nenhum desanima o motorista com relação à sua estabilidade e segurança, mas a Captiva admite uma condução mais esportiva. O CR-V não dá susto, mas o limite é menor e o carro inclina mais. A conclusão é simples, mas cabe ao consumidor a escolha. Uma coisa tem que ser dita: levando em conta o menor preço, a maior tecnologia, a motorização maior e melhor, a Chevrolet Captiva leva uma vantagem nessa avaliação.


Deprecated: Directive 'track_errors' is deprecated in Unknown on line 0